Connect with us

Atualidade

Venda de casas vai estagnar em 2024 com preços iguais a 2023

Inquérito Imovendo avança que procura por casas rurais deverá disparar este ano

Publicado

on

Os portugueses acreditam que a venda de casas vai estagnar (45,8%) ou diminuir (40,7%) em 2024, quando comparada com 2023, conclui um inquérito da Imovendo junto de 14.749 inquiridos, distribuídos por investidores/compradores, proprietários e consultores imobiliários, realizado os dias 26 e 29 de dezembro.

A maioria dos inquiridos (67,8%) defende também que as taxas de juro vão baixar, mas continuar demasiado altas, enquanto 15,3% não acredita na sua diminuição.

De realçar neste inquérito da proptech que atua no ramo imobiliário e mediação, o facto dos imóveis residenciais urbanos e suburbanos continuarem a ser apontados como o tipo de casas que geram mais interesse, denotando-se que 15,3% dos inquiridos aponta que o interesse em casas rurais aumentará em 2024.

Balanço 2023

A maior parte dos inquiridos (56,1%) admite que, no que toca à compra e venda de casa, as expectativas que tinham no início de 2023 não foram cumpridas, com 50% a admitir que o preço foi o fator que mais pesou na decisão, 31,3% aponta a localização e 12,5% a condição dos imóveis.

Metade dos portugueses culpa a crise económica como fator de principal impacto no mercado imobiliário, enquanto 27,6% atribui responsabilidades às taxas de juro, 6,9% à guerra na Europa e 3,4% à queda do governo.

Verificou-se, também, que as mudanças familiares continuam a ser a causa mais que mais pesa na venda de uma casa (33,3%), mas os portugueses apontam ainda fatores como o emprego (9,1%), o aumento das taxas de juro (18,2%) ou o investimento, como razões para a venda do seu imóvel.

Assume-se nas conclusões do inquérito da Imovendo que 37,9% dos inquiridos sentem que foram famílias portuguesas a comprar casa o ano passado, enquanto 25,9% diz terem sido estrangeiros, igualmente 25,9% declara serem investidores e apenas 5,2% jovens trabalhadores.

Programa Mais Habitação

Como é sabido, em 2023 entrou em vigor o Programa Mais Habitação e apenas 10,3% dos inquiridos acha que este Programa foi positivo para o mercado imobiliário.

Conclusões

Medidas positivas – três mais votadas:

» Simplificação dos licenciamentos 40,4%

» Isenção de mais-valias na venda de imóveis para pagar empréstimo 38,6%

» Redução de 28% para 25% da taxa especial de IRS sobre rendas 36,8%

 Medidas negativas – três mais votadas:

» Arrendamento forçado de casas devolutas 46,4%

» Limitações à subida da renda dos novos contratos 35,7%

» Rendas antigas atualizadas pela inflação 25%

Comentários de inquiridos

Há algum aspeto do mercado imobiliário em 2023 que gostaria de destacar ou comentar?

“Incerteza das políticas para habitação retrai a decisão de vender e/ou comprar e crise gerada pela inflação.”

“Sim, as leis idiotas para estorvar a vida aos investidores de nacionalidade portuguesa.”

“Baixem os preços escandalosos.”

“Governo incapaz e negativo para o mercado imobiliário.”

“Diminuição da percentagem das imobiliárias” “O pacote Mais Habitação trouxe instabilidade ao mercado imobiliário, foi prejudicial.”

“Novas construções a preços não suportáveis para as famílias.”

“Deixar o mercado imobiliário à livre iniciativa.”

“O valor das vendas está incomportável” “Urgente necessidade de aumento da oferta.”

“A venda excessiva de imobiliário a estrangeiros, que prejudica a população portuguesa.”

“Que haverá eleições em março, mas nenhum dos 2 partidos líderes das pesquisas tem propostas de facto suficientes para enfrentar esse problema, por absoluta falta de visão e competência.”

Como visualiza o desempenho geral do mercado imobiliário em 2024?

“Dependerá do novo governo.”

“Com grande movimentação de transações.”

“Espero que baixem os preços radicalmente para conseguir fazer bons investimentos.”

“Espero que haja mais casas para a bolsa dos portugueses que precisem.”

“Vai haver uma ligeira diminuição das vendas provocada pelos juros altos.”

“A procura vai continuar a superar a oferta.”

“Depende das taxas de juro, mas penso que haverá uma estagnação.”

“Fraco e baseado num modelo de mediação horrível que considera normal 6 meses a 1 ano para negociar um imóvel.”

Foto: DR.

Atualidade

Barcelos: Já estão abertas as piscinas de verão

Publicado

on

Abriram hoje ao público as piscinas municipais exteriores. A abertura foi antecipada uma semana para poder aproveitar o bom tempo que se faz sentir, indo ao encontro do desejo de muitos utentes.

As piscinas exteriores vão funcionar de segunda a domingo, das 9h00 às 19h00.

A entrada é gratuita para as crianças até aos 6 anos de idade, inclusive, mediante apresentação de documento de identificação. A partir dos 7 anos, o ingresso para um dia completo tem um custo de 3€, por pessoa. A capacidade máxima está limitada a 400 pessoas, em permanência.

Localizado no centro da cidade, este espaço de lazer e recreio é uma ótima sugestão para usufruir de bons momentos em família e entre amigos, durante os meses de verão.

Foto: CMB.

Continuar a ler

Atualidade

Viana do Castelo: 14 trabalhos de estudantes conquistam Prémio Escolar António Manuel Couto Viana

Publicado

on

Foram, este sábado, distinguidos pela Câmara Municipal de Viana do Castelo os 14 trabalhos vencedores da 14ª edição do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana, distribuídos pelas várias modalidade e anos de escolaridade. Na cerimónia, que aconteceu na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal, o Vereador da Educação e Cultura realçou o esforço e a dedicação dos jovens estudantes.

Recorde-se que este prémio escolar foi instituído em homenagem à vida e à obra do escritor vianense António Manuel Couto Viana, escritor, autor de literatura infantil, poeta, ensaísta, tradutor e dramaturgo. Esta é, pois, uma homenagem que tem por finalidade dar a conhecer a obra literária do autor e premiar produções literárias e artísticas da população infantojuvenil da comunidade escolar vianense, sob as modalidades de Conto, Ensaio, Ilustração e Poesia.

O Prémio Escolar António Manuel Couto Viana é um concurso organizado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, através da Biblioteca Municipal, em parceria com as Bibliotecas Escolares dos estabelecimentos de ensino público e privado do concelho, que prevê duas fases distintas, uma que acontece nas escolas, com a seleção do melhor trabalho, e outra, a fase final, na Biblioteca Municipal, onde são apurados, de acordo com o regulamento, os melhores trabalhos por um júri idóneo.

Na presente edição foram apresentados à fase final do concurso 42 trabalhos dos alunos das escolas do concelho, públicas e privadas, e o júri deliberou premiar um total de 14 trabalhos, distribuídos pelas várias modalidade e anos de escolaridade.

Com esta iniciativa, que conta com o apoio da Editora OPERA OMNIA, a Câmara Municipal, através da sua Biblioteca Municipal, procura responder ao apelo do Manifesto da IFLA/UNESCO sobre Bibliotecas Públicas 1994 que defende a biblioteca pública como “porta de acesso local ao conhecimento – fornece as condições básicas para a aprendizagem ao longo da vida, para uma tomada de decisão independente e para o desenvolvimento cultural do indivíduo e dos grupos sociais”.

Os vencedores desta edição, fora, os seguintes:

Na modalidade de CONTO (tema livre), o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

1º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Miguel Matias Coroado Maia de Sá;

Com o CONTO intitulado: Um sábado enfarinhado;

Aluno da escola: EB1 do Carmo, do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior;

Com o prémio no valor de: 50€ (Cinquenta Euros).

2º Ciclo do Ensino Básico

Nome do vencedor: Gustavo Picoto Figueiredo;

Com o CONTO intitulado: A história de um sonho;

Aluno da escola: Colégio do Minho;

Com o prémio no valor de: 100€ (Cem Euros).

3º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Leonardo dos Santos Pereira;

Com o CONTO intitulado: No meu tempo, não era assim!;

Aluno da escola: Escola Profissional Artística do Alto Minho – ARTEAM;

Com o prémio no valor de: 150€ (Cento e Cinquenta Euros).

Ensino Secundário:

Nome do vencedor: Élin Gonçalves Matos;

Com o CONTO intitulado: O Homem;

Aluna da escola: Escola Profissional Artística do Alto Minho – ARTEAM;

Com o prémio no valor de: 200€ (Duzentos Euros).

Na modalidade de POESIA (tema livre), o prémio foi atribuído aos seguintes concorrentes:

1º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Luís dos Santos Correia;

Com a POESIA intitulado: A água;

Aluno da escola: EB1 de Chafé, do Agrupamento de Escolas de Monte da Ola;

Com o prémio no valor de: 50€ (Cinquenta Euros).

2º Ciclo do Ensino Básico

Nome do vencedor: Filipe Borlido Martins;

Com a POESIA intitulado: O meu amigo imaginário;

Aluno da escola: Colégio do Minho;

Com o prémio no valor de: 100€ (Cem Euros).

3º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Martim Félix Rodrigues Gigante;

Com a POESIA intitulado: Poema – 25 de abril;

Aluno da escola: Colégio do Minho;

Com o prémio no valor de: 150€ (Cento e Cinquenta Euros).

Ensino Secundário:

Nome do vencedor: João Pedro de Macedo Ventura;

Com a POESIA intitulado: Primeiro verso;

Aluna da escola: Escola Secundária de Monserrate, do Agrupamento de Escolas de Monserrate;

Com o prémio no valor de: 200€ (Duzentos Euros).

Na modalidade de ENSAIO, o prémio foi atribuído aos trabalhos realizados a partir da obra de António Manuel Couto Viana, de acordo com os seguintes níveis de escolaridade:

3º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Afonso Filipe da Ponte Guedes;

Com o ENSAIO intitulado: Entrada na vida adulta : um rito de passagem a partir da peça “Um espinho da flor” do livro “Teatro infantil e juvenil”;

Aluno da escola: Escola Profissional Artística do Alto Minho – ARTEAM;

Com o prémio no valor de: 150€ (Cento e Cinquenta Euros).

Ensino Secundário:

Nome do vencedor: Lara Ferreira Trindade

Com o ENSAIO intitulado: A pluralíssima singularidade de Couto Viana, a partir do livro “Por dentro de mim dou a volta ao mundo”

Aluna da escola: Escola Secundária de Monserrate, do Agrupamento de Escolas de Monserrate;

Com o prémio no valor de: 200€ (Duzentos Euros).

Na modalidade de ILUSTRAÇÃO, o prémio foi atribuído aos trabalhos realizados a partir da obra de António Manuel Couto Viana, de acordo com os seguintes níveis de escolaridade:

1º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Camila Rio da Rocha;

Com a ILUSTRAÇÃO a partir do poema “Nove cores – verde” do livro Versos de Cacaracá;

Aluna da escola: EB1 do Carmo, do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior;

Com o prémio no valor de: 50€ (Cinquenta Euros).

2º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Leandro Cruz Garcia;

Com a ILUSTRAÇÃO a partir do livro “Criança é rima de esperança”;

Aluno da escola: EB2,3 Dr. Pedro Barbosa, do Agrupamento de Escolas de Monserrate;

Com o prémio no valor de: 100€ (Cem Euros).

3º Ciclo do Ensino Básico:

Nome do vencedor: Eva Brito Cunha;

Com a ILUSTRAÇÃO a partir do poema ” Nove cores – verde” do livro Versos de Cacaracá;

Aluna da Escola: EB2,3 Dr. Pedro Barbosa, do Agrupamento de Escolas de Monserrate;

Com o prémio no valor de: 150€ (Cento e Cinquenta Euros).

Ensino Secundário:

Nome do vencedor: Dalila Cristina Simas Pinheiro;

Com a ILUSTRAÇÃO a partir do livro Por dentro de mim, dou a volta ao mundo;

Aluna da escola: Colégio do Minho;

Com o prémio no valor de: 200€ (Duzentos Euros).

Foto: CMVC.

Continuar a ler

Atualidade

O piano será rei nas noites de verão nos Palácios de Sintra

Em julho, novo Ciclo de Piano homenageia Viana da Mota com recitais de grandes pianistas portugueses: João Xavier, Marta Menezes, Luísa Tender, Pedro Burmester, António Rosado e Artur Pizarro

Publicado

on

Neste início de verão, o cair da noite nos Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz será ao som mágico do piano. O novo Ciclo de Piano nos Palácios de Sintra, com direção artística do musicólogo Bruno Caseirão, estreia-se com um programa constituído por seis recitais, que homenageia o virtuoso pianista e grande músico Viana da Mota, cuja vida e obra esteve intimamente ligada a Sintra e à Família Real Portuguesa. Colocando os grandes pianistas portugueses em diálogo com uma nova geração que agora começa a afirmar-se, estarão em palco João Xavier, Marta Menezes, Pedro Burmester, António Rosado, Luísa Tender e Artur Pizarro. O ciclo decorre nas sextas, sábados e domingos dos dois primeiros fins de semana de julho (dias 5, 6, 7, 12, 13 e 14), sempre às 19h00, ora na Sala dos Cisnes do Palácio Nacional de Sintra, ora na Sala do Trono do Palácio Nacional de Queluz; espaços históricos e intensamente vividos, também a nível musical, mas, igualmente, intimistas e com grande qualidade acústica, que constituem o cenário de sonho para uma noite de verão.

O ciclo arranca a 5 de julho, no Palácio Nacional de Sintra, com João Xavier. Pianista da nova geração do piano português e com uma carreira promissora com vários prémios e inúmeros recitais a solo e concertos com orquestra, irá tocar obras de Robert Schumann e Frédéric Chopin, compositores emblemáticos do primeiro romantismo.

No dia 6 de julho, o palco da Sala dos Cisnes será de Marta Menezes, cuja sólida carreira tem sido dedicada à divulgação do reportório português para piano, tanto em Portugal como no estrangeiro. Desta vez, apresentará um programa centrado em compositores ibéricos notáveis, como Antonio Soler, Carlos Seixas, Viana da Mota, Enrique Granados ou Frederico Mompou. A raramente ouvida Sonata de Artur Santos também faz parte do alinhamento do recital.

O primeiro fim de semana deste ciclo encerra com um recital do consagrado pianista Pedro Burmester, na Sala do Trono do Palácio Nacional de Queluz, a 7 de julho. Aluno de Helena Sá e Costa e de Sequeira Costa, Burmester une na sua formação os dois grandes discípulos de Viana da Mota e da escola de ensino do piano por ele iniciada. Nesta noite, revisita as Variações Goldberg de Bach, obra incontornável da literatura para instrumento de tecla, de grande dificuldade técnico-musical, e um verdadeiro desafio apenas ao alcance de grandes músicos.

Na mesma sala, mas a abrir o segundo fim de semana do ciclo, no dia 12 de julho, apresenta-se António Rosado, pianista de grande talento, reconhecido nacional e internacionalmente. Em linha com o seu gosto pela diversidade, tocará desde Suite Bergamasque de Claude Debussy, até à monumental Segunda Sonata Op.36 de Sergei Rachmaninoff, passando por obras de Viana da Mota e de Franz Liszt.

No dia 13 de julho, as sonoridades do piano voltam à Sala dos Cisnes do Palácio Nacional de Sintra, desta vez pela mão da portuense Luísa Tender. Formada na cidade invicta, em Los Angeles, Londres e Paris, também se dedica à docência e à investigação. Neste recital, o epicentro é a execução integral das quatro baladas de Chopin, antecedidas de uma sonata de Wolfgang Amadeus Mozart e do Concerto Italiano de Johann Sebastian Bach.

A primeira edição do Ciclo de Piano nos Palácios de Sintra termina a 14 de julho, no Palácio Nacional de Queluz, com Artur Pizarro, aluno dileto de Sequeira Costa, que, por sua vez, estudou com Viana da Mota. À esplendorosa Sala do Trono, traz um programa em torno do ambiente verdadeiramente latino de uma noite de verão que conjugará três universos: a Argentina de Carlos Guastavino e Alberto Ginastera; a Itália de Gian Francesco Malipiero e Mario Castenuovo-Tedesco; e a França de Gabriel Fauré.

Os bilhetes já estão à venda online no site da Parques de Sintra (www.parquesdesintra.pt). Os recitais no Palácio Nacional de Sintra custam 14€ para jovens (6-17anos) e 18€ para adultos (+18 anos), enquanto os preços dos recitais no Palácio Nacional de Queluz variam entre os 18€ para jovens e os 22€ para adultos. Também é possível adquirir um bilhete que dá acesso aos seis recitais que compõem o ciclo pelo valor de 90€.

Nos dias de recital, estão disponíveis visitas guiadas ao Palácio onde decorrer o espetáculo. Começam às 17h30, têm a duração aproximada de 1h15m e também podem ser adquiridas online.

O Ciclo de Piano nos Palácios de Sintra é promovido pela Parques de Sintra e conta com a direção artística do musicólogo Bruno Caseirão.

Ao longo dos últimos anos, a Parques de Sintra tem investido na qualidade da experiência de visita e na oferta de uma programação diversificada, promovendo numerosas iniciativas dedicadas à música, ao cinema, ao teatro e à arte equestre, com múltiplas propostas que tiram partido da memória histórica dos monumentos e dos ambientes diferentes que o património natural proporciona no decorrer das estações, convidando à sua fruição ao longo de todo o ano. Pretende-se que quem visita o património sob gestão da empresa encontre sempre novos motivos de interesse, ou seja, espaços vivos, em permanente atualização e reinvenção, onde existe sempre algo novo para fazer e para conhecer. Um património de todos, para todos.

Programa do Ciclo de Piano nos Palácios de Sintra: “O Piano Português”

05/07 – 19h00 | JOÃO XAVIER – Palácio Nacional de Sintra (Sala dos Cisnes)

06/07 – 19h00 | MARTA MENEZES – Palácio Nacional de Sintra (Sala dos Cisnes)

07/07 – 19h00 | PEDRO BURMESTER – Palácio Nacional de Queluz (Sala do Trono)

12/07 – 19h00 | ANTÓNIO ROSADO – Palácio Nacional de Queluz (Sala do Trono)

13/07 – 19h00 | LUÍSA TENDER – Palácio Nacional de Sintra (Sala dos Cisnes)

14/07 – 19h00 | ARTUR PIZARRO – Palácio Nacional de Queluz (Sala do Trono)

Com exceção do recital de Pedro Burmester, todos os recitais terão intervalo.

Preçário:

Recitais no Palácio Nacional de Queluz

Adulto (+18 anos): 22,00€

Jovem (6-17 anos): 18,00€

Recitais no Palácio Nacional de Sintra

Adulto (+18 anos): 18,00€

Jovem (6-17 anos): 14,00€

Bilhete Ciclo (válido para os 6 Recitais) – 90,00€

Informação completa e aquisição de bilhetes em www.parquesdesintra.pt

Imagem: DR.

Continuar a ler

Mais lidas