Connect with us

Atualidade

Cientistas da Universidade de Coimbra criam dispositivo inovador para produção de energia a partir das ondas

Publicado

on

Uma equipa da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu um dispositivo inovador para converter a energia armazenada nas ondas do mar em energia elétrica. A invenção já está protegida por patente internacional.

O dispositivo, designado 𝗥𝗘𝗘𝗙𝗦, acrónimo de 𝗥𝗲𝗻𝗲𝘄𝗮𝗯𝗹𝗲 𝗘𝗹𝗲𝗰𝘁𝗿𝗶𝗰 𝗘𝗻𝗲𝗿𝗴𝘆 𝗙𝗿𝗼𝗺 𝗦𝗲𝗮 (energia elétrica renovável a partir do mar), resulta de oito anos de investigação desenvolvida no Laboratório de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente do Departamento de Engenharia Civil (DC), da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Este conversor de energia das ondas desenvolvido na UC, já com patente internacional concedida, é um dispositivo costeiro modular que fica totalmente submerso, invisível à superfície do mar. “É apoiado em pilares e o resto do fundo do mar fica livre para todo o tipo de processos marinhos”, explica o líder do projeto, José Lopes de Almeida.

Da esquerda para a direita: Daniel Oliveira, Aldina Santiago e José Lopes de Almeida (Foto: UC)

Por outro lado, sublinha, é um dispositivo que “procura utilizar tecnologias que já existem, nomeadamente, as turbinas de ultrabaixa queda que são aplicadas nos aproveitamentos mini-hídricos e que recentemente se tornaram competitivas em termos comerciais. É possível migrar essa tecnologia para o mar e aplicá-la precisamente para aproveitar os desníveis criados pelas ondas, que na nossa costa ocidental apresentam frequentemente alturas de 1 a 5 metros”.

Basicamente, sintetiza o cientista, “o que o dispositivo faz, é transformar o movimento alternado das ondas do mar num fluxo de água contínuo no interior do conversor REEFS. Esse fluxo, criado entre a crista e a cava das ondas, pode ser usado para acionar as referidas turbinas mini-hídricas de ultrabaixa queda”, o representa um salto tecnológico considerável, pois “não precisamos de desenvolver uma tecnologia de raiz, podemos adaptar uma tecnologia hidroelétrica já existente”.

Além disso, esta tecnologia contribui para mitigar a erosão costeira, uma vez que pode funcionar como um recife artificial, induzindo a rebentação precoce das ondas para assim retirar, logo à partida, alguma da sua energia antes que atinjam a linha de costa.

José Lopes de Almeida lembra que a investigação nesta área assume hoje particular relevância tendo em conta a atual conjuntura internacional causada pela guerra na Ucrânia. “A situação atual chama a atenção para a extraordinária vulnerabilidade da Europa em relação à sua dependência energética. Por exemplo, no caso de Portugal, o país importa, ainda hoje, cerca de 2/3 dos seus recursos energéticos.  Portanto, olhar para os recursos endógenos marinhos e procurar utilizá-los, criando valor para a economia, é um desiderato que se impõe, particularmente em Portugal, porque é um país que tem uma linha de costa bastante extensa relativamente à sua área territorial”.

No entanto, para que esta solução tecnológica possa chegar ao mercado, ainda são necessários novos estudos e testes, esclarece o coordenador do projeto: “o conceito está provado. Demonstrámos em laboratório a transformação de toda a cadeia – desde a onda até à produção de energia elétrica. Contudo, para chegar à fase comercial, o dispositivo tem de ser otimizado e testado a escalas sucessivamente maiores até instalarmos um projeto piloto no mar, só depois é que poderemos passar à fase de comercialização da tecnologia”.

Nesse sentido, a equipa, que, além de José Lopes de Almeida, integra Fernando Seabra Santos, Aldina Santiago, Maria Constança Rigueiro e Daniel Oliveira, está a concorrer a financiamentos, com o apoio da UC Business – Gabinete de Transferência de Tecnologia da UC –, que permitam efetuar uma instalação no mar, na costa portuguesa, “um passo muito importante para testar, em condições reais, a performance do dispositivo e avaliar todas as condicionantes que poderão advir da sua instalação em ambiente marinho”.

Apesar do caminho que o projeto ainda tem pela frente, a estimativa é que, quando o produto estiver apto a ser instalado no mar, evoluirá em competitividade, como ocorreu com a energia eólica. “Do ponto de vista concorrencial, tem um potencial comparável ao da energia eólica, embora o mercado não seja tão abrangente, com a vantagem de não ter impacto paisagístico, proporcionar maior previsibilidade na produção e se localizar no litoral onde usualmente se concentra a maior parte da atividade económica”, conclui José Lopes de Almeida.

O vídeo de apresentação do projeto está disponível em: https://www.facebook.com/UCBusinessGlobal/videos/1900365786829431 .

Fotos: UC.

Atualidade

Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos investe 2.7 milhões em dois Centros Tecnológicos Especializados

Investimento resulta de candidatura ao PRR – Plano de Recuperação e Resiliência

Publicado

on

A Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos (ETGB) vai criar dois Centros Tecnológicos nas suas instalações de Abade de Neiva, num investimento previsto de cerca de 2.7 milhões de euros. Este é o resultado de uma candidatura efetuada pela ETGB no âmbito da Componente de Qualificações e Competências e do Investimento – Modernização da oferta dos estabelecimentos de ensino e da formação profissional, do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O projeto destes dois Centros Tecnológicos Especializados, um dedicado à área da Informática e outro dedicado ao setor Industrial, visa reequipar e robustecer a infraestrutura tecnológica da escola, através da instalação e modernização de espaços e equipamentos, potenciando a capacidade técnica e pedagógica e os recursos educativos e formativos, melhorando a sua capacidade de resposta. Por outro lado, os novos Centros Tecnológicos vão reforçar a atratividade dos Cursos Profissionais da escola, contribuindo para o crescimento, competitividade e sustentabilidade do tecido económico e social da região, através da capacitação e qualificação dos jovens em áreas económicas estratégicas, entre as quais a transformação tecnológica acelerada pelos desafios da transição climática e digital.

Na candidatura apresentada, perspetiva-se que esta nova oferta vá aumentar o número de alunos diplomados, em especial em áreas emergentes propostas, bem como promover competências adequadas ao prosseguimento de estudos superiores.

No mesmo texto, é sublinhado que o investimento no desenvolvimento de qualificações/competências, em articulação com o tecido empresarial e as dinâmicas locais, potenciará a inovação, a renovação industrial e melhorará a articulação vertical entre os vários níveis de educação e formação profissional, contribuindo para a aprendizagem ao longo da vida, designadamente na capacitação de ativos, através de outras modalidades de formação.

Descrição das ações e investimentos do projeto

Além da sua capacidade pedagógica, formativa e administrativa, para a concretização destes projetos, a ETGB constituiu um conjunto amplo de parcerias que robustece a sua capacidade e potenciará o impacto do investimento proposto.

Partindo do diagnóstico da realidade envolvente, em particular das suas necessidades formativas, bem como do reconhecimento das suas próprias competências, a Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos vai realizar investimento em equipamentos modernos e inovadores, de modo a responder à necessidade de formação das empresas locais, não descurando as preocupações ambientais e de segurança que também fazem parte deste investimento.

Os investimentos incidirão, fundamentalmente, em equipamento Industrial e Informático de qualidade e inovador, permitindo assim uma aprendizagem de acordo com as atuais exigências do mercado, um aumento da capacidade das redes de internet, acesso, velocidade e cibersegurança, apostando em novas formas de produção e eficiência energética.

Os Centros Tecnológicos permitirão realizar um conjunto de ações educativas, interativas e de ligação à comunidade que promoverão um ensino técnico especializado nas áreas de formação, complementado com a interdisciplinaridade e promovendo a inclusão e a igualdade de género e oportunidades para todos.

A candidatura apresentada aposta na modernização de espaços e oficinas, cumprindo os requisitos e normas europeias e nacionais, em termos de eficiência energética e preocupação ambiental, assim como investe em equipamentos de baixo consumo, amigos do ambiente.

Ao promover a constituição destes Centros Tecnológicos contribui-se para a transição climática e digital.

Para esse efeito, que respeita à transição climática, os Centros Tecnológicos Especializados ficarão dotados das tecnologias mais recentes, menos poluidoras, favorecendo aprendizagens conscientes da importância da proteção do ambiente. Por outro lado, ao constituir os centros tecnológicos, num município que deles carece contribui-se para evitar deslocações pendulares dos alunos para outros municípios, evitando-se assim deslocações rodoviárias, poluidoras, favorecendo a mobilidade em transporte público e suave na cidade.

No que respeita à transição digital, a própria natureza dos cursos a lecionar nos Centros Tecnológicos promove a aprendizagem de competências digitais, promovendo a transição de modos de trabalho tradicionais para modos de trabalho assentes nas tecnologias e na economia digital, favorecendo assim a transição digital da economia e da sociedade

Foto: ETGB.

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos: Concursos de Fotografia e Vídeo 2024

Património Ambiental do concelho

Publicado

on

Estão abertas as inscrições para dois concursos municipais: concurso de fotografia “Património Natural de Barcelos” e concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”, iniciativas do município barcelense que têm como objetivo consciencializar e sensibilizar a população para a defesa e valorização do património natural do Concelho e promover o Ambiente.

Os concursos destinam-se a todos os munícipes de Barcelos, com exceção de profissionais de fotografia e vídeo, funcionários do Município e júri, bem como os seus familiares diretos.

O tema subjacente a estes concursos é o Ambiente, no qual se encaixam diversos subtemas como o Património Natural e a Biodiversidade do território do Concelho: fauna e flora; paisagens; lugares; elementos relacionados com energias, preferencialmente renováveis.

Na fotografia, pretende-se uma imagem que documente, por exemplo, a diversidade, a beleza, o mistério do património natural e ambiental, assim como a fragilidade da vida no planeta com incidência no nosso concelho. Os trabalhos de fotografia deverão ser entregues até ao dia 29 de março de 2024, na Divisão de Ambiente e Recursos Naturais, na Casa do Rio, Rua Fernando Magalhães, 4750-290, Barcelos (até às 17h00). O envelope deverá conter a indicação do concurso, nome do participante e respetiva ficha de inscrição do concurso anexada. 

A exposição dos trabalhos de fotografia terá lugar no Theatro Gil Vicente, integrando as comemorações do mês do Ambiente, durante o mês de junho de 2024.

Concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”

Relativamente ao concurso de vídeo, a iniciativa pretende aliar o gosto pelo audiovisual à questão da promoção e valorização do património natural do concelho, de forma a difundir e promover a defesa do Ambiente. Trata-se de uma forma de retratar, por meio de uma curta-metragem original, o compromisso em melhorar, proteger e preservar o Ambiente.

Este concurso destina-se a todos os munícipes de Barcelos, com exceção de profissionais de vídeo e funcionários do Município e júri, bem como os seus familiares diretos.

Os vídeos deverão ser entregues em formato digital, através dos serviços de armazenamento/partilha de ficheiros online (we transfer, Dropbox, etc.), cuja ligação de partilha deve ser enviada para o endereço de e-mail gambiente@cm-barcelos.pt, até às 17h00 do dia 29 de março de 2024, ou presencialmente em envelope fechado, no Gabinete de Ambiente (Casa do Rio, Rua Fernando Magalhães, 4750-290, Barcelos).

Os concorrentes a estes concursos devem consultar os respetivos regulamentos antes da entrega dos trabalhos.  Mais informações: gambiente@cm-barcelos.pt

Prémios: Concurso de fotografia “Património Natural de Barcelos”

1º prémio: 400 euros

2º prémio: 300 euros

3º prémio: 200 euros

Será atribuído um prémio no valor de 100 euros intitulado “Prémio do Público”. Este prémio resultará da votação direta do público.

Prémios: Concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”

Consiste na atribuição de um valor de 400 euros ao melhor classificado.

Será atribuído um prémio no valor de 100 euros intitulado “Prémio do Público”. Este prémio resultará da votação direta via eletrónica do público.

A exibição dos vídeos será efetuada na página do Município (www.cm-barcelos.pt).

Imagens: CMB.

Continuar a ler

Atualidade

Sintra: Inscrições abertas para curso de Nadador-Salvador Profissional

Publicado

on

Estão abertas inscrições para o curso de Nadador-Salvador Profissional que acontece de 15 de abril a 17 de maio, nos Bombeiros Voluntários de Colares e na Praia Grande, em Sintra.

O curso é promovido pela Escola de Formação de Nadador Salvador Profissional de Sintra e é limitado a 30 vagas, com uma carga horária de 150 horas de formação, em regime pós-laboral e aos sábados.

Nesta ação está incluído o manual de formação, pocket mask, seguro e exame final (EEAT), sendo a sua realização dependente do número de inscrições registadas.

Os candidatos devem ser maiores de idade à data das provas de admissão, dominar a língua portuguesa e ter conhecimentos da língua inglesa.

Candidaturas e mais informações através de e-mail ou do telefone 91 100 77 12.

Imagem: CMS.

Continuar a ler

Mais lidas