Connect with us

Atualidade

“Os Verdes” atribuem Bandeira Negra ao assoreamento das Minas de Portelo, no Parque de Montesinho

No âmbito do SOS Natureza

Publicado

on

Os Verdes”, no âmbito da Campanha SOS Natureza, atribuíram uma Bandeira Negra ao fenómeno de assoreamento a que se assiste, há mais de uma década, nos cursos de água a jusante das minas de Portelo, em Bragança, “que afeta gravemente as ribeiras e os ecossistemas nas aldeias de Aveleda e Portelo”, aponta o Partido.

Toneladas de areia arrastadas numa extensão de 14 km e a deposição de sedimentos provocados pelo colapso das escombreiras da mina, num período de forte pluviosidade em 2009, causaram inundações, perda de biodiversidade, contaminação das águas, afetação das culturas agrícolas e o assoreamento do rio Pepim, afluente do rio Sabor.

“Esta grave situação tem preocupantes impactos ambientais, sociais e económicos sobre a região, contrariando, além do mais, a aposta crescente no ecoturismo e em investimentos na valorização ambiental do território”, continua.

“Os Verdes” deram voz à população, em 2020, questionando o Ministério do Ambiente sobre a falta de investimento na resolução deste problema antigo. “Continua a ser incompreensível o sucessivo adiamento, por parte do Governo, de uma solução que ponha fim à contínua degradação ambiental que tem lugar no coração do Parque Natural de Montesinho, região de elevado valor ecológico, em área identificada como Zona Biótipo de Conservação Prioritária I e II (segundo a carta de valores faunísticos do Plano de Ordenamento do PNM), em Reserva Natura 2000, constituindo parte integrante da Reserva da Biosfera Transfronteiriça da Meseta Ibérica, classificada pela UNESCO”, acusa.

As minas de Portelo, integradas na área mineira de Montesinho, foram alvo de intervenção pela Empresa de Desenvolvimento Mineiro (EDM), numa primeira fase, com vista à remediação ambiental, inventariação e proteção de acessos, poços e galerias. De acordo com a informação disponibilizada na página da EDM, esta intervenção incluiu a suavização de escarpas e a modelação de taludes.

“No entanto, ficou por realizar uma segunda fase do projeto com vista à recuperação paisagística da escombreira de finos, a desobstrução do leito principal da Ribeira do Vale de Ossa, afluente do rio Pepim, assim como a descontaminação dos solos”, salienta.

“O plano de intervenção tem vindo a ser protelado por sucessivos Governos, sem qualquer vislumbre de uma resolução definitiva, pelo que ‘Os Verdes’ atribuem uma Bandeira Negra à falta de intervenção urgente por parte dos organismos responsáveis pelo ambiente e pelo setor da geologia, que teimam em ignorar que é urgente recuperar o rio Pepim, em Aveleda, contribuir para a recuperação paisagística das margens e da galeria ripícola e proporcionar a fruição daquele espaço por residentes e visitantes”, afirmam.

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), que anteontem realizou uma visita ao local, chama a atenção para que, a cada época de forte pluviosidade, a situação se agrava com deslizamentos das escombreiras e existe um sério risco de reincidência da contaminação dos cursos de água e de atentado sobre os valores ecológicos do Parque Natural de Montesinho, caso continue a ser adiada a recuperação global dos passivos ambientais das minas de Portelo.

“Os Verdes”, com a Campanha SOS Natureza, pretendem chamar a atenção para os graves problemas ambientais e continuar a dar voz às preocupações das populações. Por isso, nesta visita a Bragança e à Aldeia de Aveleda, contactaram com o eleito local da CDU, José Castro, para abordar este problema. Nesta iniciativa, integraram a delegação do Partido Ecologista “Os Verdes”, Mariana Silva, membro da Comissão Executiva do PEV, e Fernando Sá, pelo Conselho Nacional do PEV.

Foto: PEV.

Atualidade

Conservas “Sabe a Mar”: Coloque na mesa das festividades a tradição de toda uma região

Publicado

on

Celebre as festividades com os sabores típicos Lusitanos e com a história de toda uma região. Adquira as conservas SABE A MAR, um projeto do centro comercial Aqua Portimão, que celebra a tradição conserveira, as gentes do mar e a história de Portimão.

Uma produção exclusiva de 2.500 unidades de sardinha em lata, feitas de forma artesanal e embaladas manualmente, seguindo uma receita com 100 anos de história. Parte das vendas revertem a favor do projeto Memórias com Sentido(s) da associação Alzheimer Portugal.

Se estiver fora do Algarve, não deixe de saborear este manjar. Pode encomendar através do site oficial e receber em casa, através dos CTT.

Se estiver pelo Algarve, passe no Aqua Portimão para adquirir as suas conservas. As mesmas estão à venda no Balcão de Informação do centro comercial que se encontra completamente decorado com o projeto.

O projeto

É na rua de São Pedro que está localizado o Aqua Portimão, centro comercial da Klépierre – proprietária e gestora de mais de 100 centros comerciais na Europa. Contudo, há 100 anos, nessa mesma localização, operava a Fábrica Boavista, uma conhecida conserveira. A história e as memórias do endereço que partilham foram o mote do novo projeto do centro comercial algarvio. ‘SABE A MAR’ é uma homenagem à tradição e cultura da cidade, que conta com a criação de dois produtos de edição limitada, que vão ser explorados em várias iniciativas culturais, culinárias e rubricas digitais.

As indústrias da pesca e das conservas contribuíram para o desenvolvimento urbano e económico de Portimão, associado ao surgimento das primeiras fábricas. É sob o rasto de história deixado pela antiga Fábrica Boavista que o Aqua Portimão transformou um produto tão familiar e histórico, como as sardinhas em conserva, num produto premium que promete levar Portimão além-fronteiras. ‘SABE A MAR’ dá nome a este produto, uma edição limitada sob a expressão “QUE JÊTE”, lançadas com o apoio da Câmara Municipal de Portimão e o Museu de Portimão, com 2.500 unidades, cuja parte das receitas vão reverter a favor do projeto Memórias com Sentido(s) da associação Alzheimer Portugal.

Estas conservas, que recuperam e conservam décadas de tradição, foram produzidas manualmente e com a mesma receita centenária usada na Fábrica Boavista, preparadas com dedicação pelos homens do mar, pela Conserveira do Arade e equipas Klépierre. As sardinhas em lata ‘SABE A MAR’ estão disponíveis em duas opções, limão e azeite virgem, dois sabores típicos e lusitanos.

Uma vez que a sardinha é a rainha, o projeto vai estender-se até à cozinha do prestigiado Chef Hugo Nascimento, que se juntou ao projeto para criar receitas exclusivas que destacam o sabor da sardinha e podem ser consultadas brevemente no site https://sabeamar-aquaportimao.pt/ .

Contudo, a história e tradição do Algarve não ficam pelo prato e há algo que fala mais alto: o sotaque tão característico e as expressões do seu povo, que passam de geração em geração. Neste contexto, o humorista David Cristina vai percorrer Portimão para conversar com as personagens mais carismáticas e descobrir as expressões locais mais características da identidade da região, numa rubrica digital que pode ser conhecida nas redes sociais.

O projeto ‘SABE A MAR’ vai ter a duração de três anos, ao longo dos quais vai explorar os diferentes eixos passando pela arte e cultura até à gastronomia. Para todos aqueles que pretendem puxar a brasa a esta sardinha, basta procurar as edições no quiosque de informações do Aqua Portimão, disponível por 5€, a unidade.

Foto: AP.

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos: Natal marca a programação de dezembro do Theatro Gil Vicente

Publicado

on

O Natal marca a programação cultural de dezembro do Theatro Gil Vicente (TGV), em Barcelos. O teatro infantil tem especial relevo, mas o cinema e a música não deixarão de estar presentes.

E é com música que abre a programação, no dia 2, às 22h00, com o concerto de Rui Reininho, espetáculo inserido no ciclo de concertos ‘triciclo’.

Por seu lado, o teatro sobe ao palco do espaço vicentino no dia 10, com duas sessões:  às 16h00 e às 21h30, com a peça “Um amor de família”, do Teatro Dramax Oeiras.

Teatro para crianças

Já na rubrica “Em família no TGV”, as tardes de domingo são dedicadas aos mais novos: no dia 4, pelas 16h00, é encenada a peça “A Fórmula Mágica – O Musical” pela ADN de Palco – Associação Cultural e Teatral; no dia 11, às 16h00, é a vez da peça “Natal em todo o lado”, pela Associação D’Improviso – Artes do Espetáculo. No dia 18, bem mais perto do Natal, avança a peça “É Natal outra vez”, pela GrowUp Produções.

Cinema e Dança

A Associação Zoom – Cineclube continua a apresentar cinema no Theatro Gil Vicente, exibindo, no dia 6, às 21h30, o filme “Triângulo da Tristeza”, de Ruben Östiund. No dia 20, às 21h30, é a vez de “Decisão de Partir”, de Park Chan-Wook.

Já depois do Natal, no dia 27, haverá a comemoração d’O Dia Mais Curto com as “Curtas do Mundo” com a projeção dos filmes “As Visitantes”, de Enrique Buleo”; “Fantasma Neon”, de Leonardo Martinelli” e a “Glória da Malvada Eliz”, de Eliska Kovalková e Adan Struhala, às 21h30.

A programação de dezembro do Theatro Gil Vicente também contempla a dança. No dia 7, às 21h30, sobe a palco o espetáculo “Sonho de uma noite de Natal”, pela Academia Rosália Ferreira – Núcleo Artístico e Cultural de Barcelos.                  

Do programa Fora de Portas, destaque para o concerto de “Ocenpsiea”, a realizar no Café Plátano (Koberto), em Roriz, no dia 16, às 22h00, espetáculo inserido no ciclo de concertos ‘triciclo’.

Imagem: CMB.

Os bilhetes para assistir aos espetáculos no teatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).   

Imagem: CMB.                                                           

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos assinala Dia Internacional e promove Jornadas do Voluntariado

De 05 a 12 de dezembro 2022

Publicado

on

O Município de Barcelos vai promover, em dez estabelecimentos de ensino do concelho, as Jornadas de Voluntariado, cujo início – dia 5 de dezembro – coincide com o Dia Internacional do Voluntariado.

Assim, desde a próxima segunda-feira, e durante uma semana (até ao dia 12), o programa será preenchido por sessões de sensibilização e esclarecimento a decorrer nos períodos da manhã e da tarde, nas escolas que aderiram à proposta do Município de Barcelos.

Esta iniciativa é operacionalizada pelo Banco Local de Voluntariado (BLV) e tem por objetivo educar para o voluntariado, contribuindo para uma cultura de solidariedade no território de Barcelos. A ideia subjacente é que alunos, professores e restante comunidade educativa vejam o voluntariado numa perspetiva de desenvolvimento integrado e de cidadania.

Durante as sessões, haverá testemunhos de voluntários que integram as entidades parceiras do território em projetos já em curso, que partilharão as suas experiências e projetos.

Imagem: CMB.

Continuar a ler

Mais lidas