Connect with us

Atualidade

Gestão de condomínios nos pós-confinamentos com procura a disparar 84% de 01 a 07 de janeiro

38% dos proprietários não gostou de gerir os seus prédios

Publicado

on

A procura por empresas de gestão de condomínios disparou 84% de 1 a 7 de janeiro de 2022 face a igual período em 2021, ainda que 30% abaixo se compararmos com a mesma semana em 2020, revela um estudo da APP Fixando à atividade dos seus clientes em 2021 até 11 de janeiro de 2022, junto de mais de 500 especialistas em gestão de condomínios inscritos naquela APP.

Aos dias de hoje – pós-confinamentos, verifica-se que 48% dos proprietários optou por contratar empresas especializadas e 59% deles aponta a falta de disponibilidade como o principal motivo para recorrerem aos profissionais, sendo que 38% revelou não ter gostado da experiência de gestão do condomínio dos seus prédios.

Este aumento súbito de início de ano, diz a Fixando, a APP que liga especialistas a clientes que procuram serviços, deve-se ao retorno a um modelo de gestão de condomínios predominante antes dos confinamentos onde o recurso a empresas especializadas prevalecia, tendência esta só contrariada pelo período vigente dos próprios confinamentos, onde os proprietários, com mais tempo livre, recorreram a si próprios para a execução das tarefas.

“Estes dados revelam o regresso do interesse e da procura por este tipo de serviços em janeiro 2022, e que resultam, por um lado, do regresso à vida normal, onde, ainda com restrições, voltam as rotinas e a disponibilidade torna-se reduzida e, por outro, da experiência do ano anterior na gestão de condomínios sem apoio por parte de uma empresa”, avança Alice Nunes, diretora de Novos Negócios da APP Fixando.

Segundo o estudo da Fixando, verifica-se que a quebra na procura face ao período pré-pandemia, deveu-se essencialmente a 2 fatores: a retração generalizada no consumo, que levou a que se optasse por soluções mais económicas (ou seja, a não contratação deste tipo de empresas) e, por outro lado, a disponibilidade que o teletrabalho e os confinamentos acabaram por criar a muitos proprietários.

No que se refere aos preços praticados por estes especialistas em 2021, o preço médio localizava-se nos €117/mês, sendo este um serviço que, neste momento, se encontra a ser prestado num modelo híbrido, com 80% dos especialistas a providenciarem estas funções remotamente.

“Em matéria de honorários, estimamos que os preços praticados pelo setor se mantenham estáveis”, conclui a mesma responsável.

Foto: DR.

Atualidade

Orquestra Municipal de Sintra interpreta Sinfonia Pastoral de Beethoven

Publicado

on

A Orquestra Municipal de Sintra – D. Fernando I irá subir ao palco do Centro Cultural Olga Cadaval para interpretar a Sinfonia Nº6 “Pastoral” de Beethoven, no dia 16 de setembro, pelas 21h00, com entrada gratuita.

Sob a direção artística de Cesário Costa, o programa para este concerto terá como fonte de inspiração a Natureza.

Na abertura será interpretada a ópera “La Vera Costanza”, do compositor Jerónimo Francisco de Lima, escrita em 1785 e que ilustra uma tempestade no mar, com a música a retratar o vento, as ondas e os trovões que se fazem sentir nessa mesma tempestade.

O programa comtempla a apresentação da obra “O Declinar de uma tempestade, op.15”, escrita por António Pereira Lima Júnior, em estreia absoluta numa versão para orquestra especialmente encomendada ao jovem e premiado compositor Marco Pereira.

Na linha das obras anteriores, a Sinfonia n.º 6 “Pastoral”, de Beethoven, uma das suas obras mais populares, escrita em 1808, descreve algumas cenas da vida campestre: a tranquilidade de um ribeiro, o canto dos pássaros, os camponeses, uma furiosa tempestade e a calma quando esta passa.

A Orquestra Municipal de Sintra – D. Fernando II é um projeto único a nível nacional que pretende permitir a fruição da grande música clássica em todo o território do Concelho de Sintra.

A entrada para o concerto é gratuita, mas limitada à lotação disponível, num máximo de 2 bilhetes por pessoa. A reserva é feita exclusivamente online mediante envio de um e-mail para bilheteira.ccoc@cm-sintra.pt (o bilhete eletrónico será enviado para o mesmo e-mail).

Continuar a ler

Atualidade

Voleibol: Seleção Nacional no Europeu 2023

Terceira presença consecutiva em campeonatos da Europa com um jogo ainda por disputar

Publicado

on

A Seleção Nacional de Seniores Masculinos, orientada por João José, garantiu o apuramento para a fase final do Campeonato da Europa de 2023, ao vencer, ontem, por 3-0 (27-25, 25-15 e 25-12), a sua congénere do Montenegro em jogo disputado no Pavilhão Desportivo Municipal de Santo Tirso.

Embora falte ainda disputar um último jogo na Pool D – Portugal desloca-se, no dia 21 de agosto, à Islândia –, a seleção de todos nós tem já assegurada (nem que seja como um dos melhores segundos classificados) a sua terceira presença consecutiva, e sétima no total, num Campeonato da Europa, concretizando, assim, o seu grande objetivo para 2022.

A fase final do EuroVolley 2023 ainda não tem organizador(es), nem datas marcadas, mas deverá ser disputado em agosto/setembro do próximo ano.

Portugal vs. Montenegro, 3-0 (27-25, 25-15 e 25-12)

Após o 2-3 averbado no dia 7 de agosto, em Montenegro, para garantir a qualificação direta para o Campeonato da Europa pela terceira vez consecutiva, a Seleção Nacional, orientada por João José, precisava de vencer o seu adversário de ontem por 3-0 ou 3-1, pois o 3-2 obrigava a fazer contas.

Set

Montenegro entrou bem no jogo (3-1), com os portugueses a sentirem bem a potência dos serviços de Aleksandar Minic, capitão dos montenegrinos. Portugal recompôs-se rapidamente e equilibrou a contenda (3-3, 6-6, 10-10).

Filip Cveticanin, com um ataque ao primeiro toque, conseguiu a primeira diferença de dois pontos (18-16) para Portugal… mas a equipa orientada por Ivan Joksimovic não acusou o golpe e com dois serviços de Marko Bojic voltou a passar para para a frente no marcador (19-18).

Um bloco de Ivan Zvicer, seguido de um ataque do mesmo jogador, aumentou a diferença (21-19).

Portugal respondeu com um ataque de Alexandre Ferreira e um bloco de Filip Cveticanin (22-22), obrigando Ivan Joksimovic a parar o jogo.

Um ataque de segunda linha de Lourenço Martins manteve Portugal no jogo (25-25). Alex Ferreira colocou a turma das quinas a um mero ponto do triunfo, que seria selado com novo ataque do capitão lusitano: 27-25.

Marko Bojic, com 8 pontos, e Ivan Zvicer, com 7, iniciavam um interessante duelo de pontuadores com Alexandre Ferreira e Lourenço Martins, ambos com 7 pontos neste parcial.

Set

Um monster bloco de Miguel Sinfrónio impulsionou Portugal (3-0) e uma bomba no serviço de Lourenço Martins aumentou a distância pontual (6-2).

Dois erros, no serviço e no ataque, mostraram que Montenegro estava um pouco desorientado com a velocidade e agressividade com que Portugal jogava e o treinador montenegrino viu-se obrigado a reunir com os seus pupilos.

A conversa não surtiu efeitos visíveis (10-3) e Ivan Joksimovic procurou remediar a situação fazendo algumas alterações.

Enquanto isso, os portugueses mantinham a sua caminhada a passos largos para novo triunfo.

Um serviço direto de Marko Bojic ainda fez soar algum alarme no banco de Portugal (13-6).

Alex Ferreira respondeu à altura dos acontecimentos, com um serviço direto (15-6). Um bloco de Tiago Violas empolgou, ainda mais, o (muito) público (17-7).

A Seleção Nacional exalava bom Voleibol e os adeptos agradeciam o espetáculo (19-8).

Montenegro reagiu e um serviço de Djordje Jovovic atenuou um pouco a diferença (20-12), mas o set era dominado pelos portugueses, que fixaram o resultado em 25-15, com um bloco de Filip Cveticanin e um ataque de Alex Ferreira.

Set

O terceiro parcial começou, como o primeiro, a ser jogado ponto a ponto, mas só até aos 4-4. Depois, os portugueses começaram a crescer. Um bloco de Filip Cveticanin e um ataque de Alex levaram o público ao delírio (9-5). Novo bloco, este de Miguel Sinfrónio, afastaram, ainda mais, Portugal (14-7).

O capitão Alex era o timoneiro da confiança portuguesa e dava o exemplo no ataque (17-8), no bloco (19-8) e no serviço (20-10).

Lourenço Martins e um serviço direto garantiram o triunfo que deu o apuramento europeu: 25-12, por números que não deixam dúvidas quanto à superioridade de Portugal.

Alexandre Ferreira, com 21 pontos, cotou-se como o melhor pontuador do jogo, seguido de Lourenço Martins (12) e Filip Cveticanin (10).

O Selecionador Nacional, João José, sublinhou que “o jogo acabou por ser muito intenso devido à importância que tinha. Da forma como estão a evoluir os outros grupos, se ganhássemos 3-2, até poderia ser complicado ser um dos cinco melhores segundos classificados. Mesmo no rácio de pontos eles estavam melhores do que nós”. Sobre a equipa, para João José, esta “esteve muito bem, ou seja, leram bem o que o adversário ia fazer e corrigir praticamente tudo o que não tínhamos conseguido fazer no jogo anterior“.

No entender do capitão Alexandre Ferreira, “não se constrói nada do dia para a noite. É um grupo que teve muitas mudanças e precisava de algum tempo para se adaptar. Para além disso, tivemos alguns jogadores com limitações físicas ao longo do percurso, o que também motivou algumas alterações na equipa, mas hoje [Ndr: ontem] voltámos àquela que era a nossa estrutura base desde início e correu bem, com cada um a fazer o seu trabalho”, sendo que assumiram “o favoritismo desde início, tivemos altos e baixos, como em Montenegro, mas hoje mostrámos que somos bem superiores”. Já sobre o apuramento, Alex salientou que “estamos pela terceira vez consecutiva no Europeu e sinto um enorme orgulho, pois sinto que o nosso País está a crescer na modalidade e isso é o mais importante: levar bem alto o nome do nosso País noutra modalidade sem ser só o Futebol. Vamos estar três vezes consecutivas e espero estar a quarta vez”.

Foto: FPV.

Continuar a ler

Atualidade

Tó Trips e Tiago Gomes animam Parque da Curia

Na localidade do Concelho de Anadia, este sábado

Publicado

on

O programa de animação da Curia “Concertos no Parque”, promovido pelo Município de Anadia, prossegue este sábado, 20 de agosto, pelas 22h00, com a atuação de Tó Trips e Tiago Gomes.

O espetáculo-viagem de Tó Trips e Tiago Gomes é baseado no livro homónimo de Jack Kerouac e foi apresentado pela primeira vez, em 2007, na exposição Remembering Jack Kerouac.

Trata-se de uma viagem, uma estrada perdida e infinita, onde os dois performers e o vídeo remetem o espetador para a route 66, na América de todos os sonhos, que aqui também são todas as estradas do mundo – vias rápidas, estradas secundárias, o deserto, cidades perdidas na noite e becos sem saída.

Tó Trips, dos Dead Combo, e Tiago Gomes, escritor e editor da revista Bíblia, juntaram-se em palco pela primeira vez, no final de 2007, para uma improvisação para guitarra e voz em torno do livro de Kerouac. Desde então, os dois artistas realizaram atuações dispersas por todo o país, onde foram experimentando ambientes musicais, tendo por base a escrita de Kerouac.

O programa “Concertos no Parque” tem como principal objetivo animar as noites de sábado na Curia, procurando desta forma atrair um maior número de turistas a esta estância termal, durante a época estival.

Imagem: DR.

Continuar a ler

Mais lidas