Connect with us

Atualidade

CNA considera que medidas do Governo não resolvem dificuldades dos Agricultores

A Confederação Nacional da Agricultura afirma que a “especulação permanece intocável e preços baixos na produção continuarão a ditar o encerramento de explorações agrícolas”

Publicado

on

As medidas anunciadas, no início desta semana, pelo Governo para conter o aumento dos preços energéticos e agroalimentares “mitigam uma muito pequena parte dos aumentos verificados nos combustíveis (redução de ISP), na energia e noutros factores de produção, tais como os adubos e correctivos ou as rações para animais (isenção de IVA)”, salienta a CNA – Confederação Nacional da Agricultura.

“Não obstante representarem um pequeno passo no sentido de respostas que a CNA há muito vem reclamando, não atacam o carácter especulativo dos aumentos dos preços dos combustíveis e outros fatores de produção que já se vinham verificando antes do conflito na Ucrânia, não constituindo, por isso, barreiras à escalada dessa subida”, continua.

Como a CNA reclama, “impõe-se a regulação de preços, com a criação de tetos máximos, em particular para os combustíveis e para a energia. Não se compreende, nem é aceitável, a falta de vontade em mexer nas margens das grandes empresas petrolíferas e da energia, que continuam intocáveis a somar lucros milionários, enquanto os agricultores e demais cidadãos são cada vez mais estrangulados”.

De igual forma, “nenhuma das medidas anunciadas está direcionada para aumentar a justiça da distribuição do valor ao longo da cadeia agroalimentar, da produção à transformação e comercialização (diga-se, grande distribuição), mantendo, por isso, o cenário de baixos preços pagos à produção, o que continuará a levar ao encerramento de muitas mais explorações, enquanto os consumidores pagam cada vez mais caro”, lamenta.

Por isso, o Governo e o Ministério da Agricultura e Alimentação” não podem perder mais um dia: está  na hora de implementar uma lei que proíba a venda com prejuízo ao longo de toda a cadeia agroalimentar, enquanto condição essencial para salvaguardar os rendimentos dos pequenos e médios agricultures familiares e a viabilidade das explorações”, defende.

Sobre as medidas anunciadas, “algumas apregoadas repetidamente sem que se concretizem, como acontece com a eletricidade verde, que continua à espera de despacho para chegar a quem produz, importa saber quando chega a ajuda aos agricultores e que seja de forma célere e desburocratizada”, denuncia.

“Requisitos burocráticos, como os muito curtos prazos para as candidaturas ou a obrigatoriedade da candidatura ser desmaterializada (online), podem inviabilizar que muitos agricultores acedam às medidas”, alerta.

Além do mais, “cerca de 40% dos agricultores foram excluídos das ajudas da Política Agrícola Comum (PAC). E, ainda que, tal como a isenção de IVA dos adubos e fertilizantes, a antecipação dos pagamentos de ajudas da PAC represente apenas um reforço temporário de tesouraria, que faltará mais adiante (trata-se de pagar mais cedo um valor a que os agricultores já têm direito), a CNA reclama que se concretizem logo em maio e que se considere outro período para adiantamento em agosto”, propõe.  

Por outro lado, a CNA chama a atenção para a “exiguidade do desconto previsto para o Gasóleo agrícola (de cerca de 3 cêntimos) quando os aumentos sofridos desde o início de 2021 se cifram em cerca de 70 cêntimos”.

“Só com concretização rápida e suficiente dotação financeira destas medidas, e das que a CNA reclama, poderá sentir-se algum efeito positivo antes que, para muitas explorações, seja demasiado tarde, e com isso o país afastar-se-á cada vez mais da necessária Soberania Alimentar”, afirma.

“A abordagem do Ministério da Agricultura e do Governo aponta para uma resposta conjuntural. Contudo, os problemas sentidos assumem um caráter estrutural que amplia a necessidade e a exigência de uma política que coloque a Soberania Alimentar no centro de uma estratégia destinada a assegurar níveis suficientes de auto-aprovisionamento em produtos chave no país, valorizando o contributo da Agricultura Familiar e dos pequenos e médios produtores agrícolas e florestais para a produção e para a sustentabilidade da agricultura e do Mundo Rural”, conclui.

CNA reclama reforço da Medida de Renovação do Parque de Tratores Agrícolas

Na reunião com a Ministra da Agricultura e Alimentação, segunda-feira, a CNA “reclamou, ainda, a necessidade de reforçar a dotação orçamental da Operação 3.2.2 – Renovação do Parque de Tratores Agrícolas (anúncio 10)”.

Recorde-se que a lista de hierarquização final da Operação 3.2.2 – Renovação do Parque de Tratores Agrícolas (anúncio 10), revela, de acordo com a CNA, que foram submetidas 7120 candidaturas das quais 1362 foram aprovadas, o que corresponde a cerca de 20%.

“A importância desta medida, reclamada pela CNA, no sentido de reforçar a segurança nas explorações e a capacidade produtiva dos agricultores, comprova-se com a procura que teve e com o número de candidaturas”, salienta.

“Exige-se, agora, que haja o reforço da dotação orçamental deste mesmo anúncio, aliado a uma rigorosa fiscalização para evitar a especulação nos preços das máquinas, para que a renovação do parque de máquinas chegue a mais produtores”, reclama.

“Em defesa da Aricultura Familiar e do Mundo Rural, por rendimentos dignos para os pequenos e médios agricultores, a CNA e Filiadas continuarão a lutar por outras e melhores políticas agro-rurais”, afirma a CNA.

Foto: DR.

Atualidade

Anadia: “Concertos de Primavera” estão de regresso

Publicado

on

André Sardet, Miguel Ângelo e Ana Bacalhau são os artistas convidados da edição 2023 dos “Concertos de Primavera” que terão lugar, nos meses de março, abril e maio, no Cineteatro Anadia.

O cantor e compositor André Sardet abre o ciclo de concertos, no dia 25 de março, pelas 21h00. O artista irá partilhar com o público os seus êxitos acumulados, ao longo de uma carreira de 25 anos, dedicados às canções. André Sardet é hoje um nome unanimemente reconhecido pela crítica e pelo público no panorama musical português. 

O ciclo prossegue, no dia 15 de abril, com a atuação de Miguel Ângelo. O líder carismático de uma das maiores bandas pop portuguesas de sempre, Delfins, apresentando temas da sua carreira a solo, sem esquecer algumas das canções mais emblemáticas daquela banda.

O último concerto está agendado para 27 de maio com a atuação de Ana Bacalhau, considerada uma das mais talentosas e inovadoras cantoras da sua geração. Apresenta-se em formato acústico e intimista e interpreta temas dos seus trabalhos a solo, bem como algumas das grandes canções dos Deolinda, verdadeiros hinos de uma geração.

À semelhança do que tem acontecido em edições anteriores, os concertos serão acústicos e terão um formato intimista, possibilitando a interação com o público, num ambiente descontraído. Os artistas têm, assim, a oportunidade de partilhar, com a audiência, histórias e curiosidades associadas à composição de um tema ou a algum episódio memorável, sendo esta a matriz comum aos três “Concertos de Primavera”.

Os bilhetes podem ser adquiridos no Cineteatro Anadia às sextas-feiras e sábados, das 19h30 às 23h00, e no dia de espetáculos, a partir das 14h00. Os ingressos para os espetáculos têm um custo de 14,00€ (1ª plateia), 12,00€ (2ª plateia) e 10,00€ (balcão e lugares para pessoas com mobilidade reduzida, em cadeira de rodas). Podem ainda optar pelo bilhete geral, com acesso aos três concertos, pelo valor de 35,00€, na 1ª plateia. Os ingressos encontram-se, também, disponíveis na bilheteira online – BOL (www.bol.pt), na Fnac, Worten e noutros postos BOL.

Imagem: CMA.

Continuar a ler

Atualidade

Embalagens sustentáveis para padarias e pastelarias em foco em novo webinar

Dia 08 de fevereiro, entre as 14h30 e as 16h30

Publicado

on

Incluído numa série de webinars que se encontram a ser promovidos no âmbito do projeto S4agro durante o corrente mês de fevereiro, o Instituto Politécnico de Coimbra (IPC), juntamente com seus parceiros, promove no próximo dia 8, das 14h30 às 16h30, o webinar “Embalagem Primária Sustentável no Subsetor dos Produtos de Padaria e Pastelaria”.

Dirigido às empresas do subsetor dos produtos de padaria e pastelaria, o webinar conta, na qualidade de oradores, com a participação de Joana Faria, da FSC PORTUGAL, de Marcelo Castanheira, Diretor de Marketing da PACK 4 EMBALAGEM, LDA., de Pedro Cartaxo, Diretor Geral da TRIPONTO SERVIÇOS COMERCIAIS, LDA. e de Carolina Pereira, Diretora de Marketing da NOVARROZ – PRODUTOS ALIMENTARES, S.A. O debate é moderado por Pedro Dinis Gaspar, da Universidade de Aveiro.

A sessão de abertura e de encerramento, bem como a apresentação do projeto S4agro está a cargo de João Gândara, professor da Escola Superior Agrária de Coimbra, que coordena o projeto no IPC.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do link: www.forms.gle/cRh6oiJYonyW74Vy9 .

“Embalagem Primária Sustentável no Subsetor dos Produtos Hortofrutícolas” e “Embalagem Primária Sustentável no Subsetor dos Produtos Lácteos” são os webinars que se seguem-se e ocorrerão nos dias 15 de fevereiro e 22 de fevereiro, respetivamente.

Todas as informações sobre o projeto S4agro em http://s4agro.pt.

Imagem: IPC.

Continuar a ler

Atualidade

Procura por serviços para animais de estimação cresce 41%, mas a oferta é escassa

Mercados dos animais está em crescimento e cuidar de animais pode permitir rendimentos até 1.400€/mês

Publicado

on

A procura por serviços para cães e gatos cresceu 41% em 2022, face ao ano anterior, com os serviços de hotel para animais a perfazerem a maioria dos pedidos (55%), seguidos do treino de cães (26%) e pet sitting/pet walking (12%), revela uma análise da APP de contratação de serviços Fixando.

Apesar da influência da sazonalidade na procura pelos serviços de hotel para animais e pet sitting/pet walking, com os meses de verão a registarem a maior afluência de pedidos para cuidar de animais de estimação, em 2022, também dezembro registou uma grande procura por parte dos donos, com um crescimento na ordem dos 54%, comparativamente a dezembro de 2021.

Apesar do aumento na procura, a oferta disponível não conseguiu acompanhar esta tendência e a maioria dos donos teve dificuldades em encontrar um especialista para cuidar dos seus animais: na Fixando, 82% dos pedidos de serviços para animais ficaram sem resposta.

Esta escassez de oferta nos serviços para animais contribuiu para um aumento do preço médio praticado na área, passando de 16€/hora em 2021, para 18€/hora em 2022. Os serviços de treino para cães sofreram um aumento de 17€/hora para 20€/hora e pet sitting/pet walking de 7€/hora para 9€/hora. Apenas os hotéis e creches para animais mantiveram os mesmos preços, com valores médios de 25€ por dia em hotéis e 15€ por dia em creches.

Segundo a mesma análise, a concentração da procura nos meses de férias, aliada à falta de especialistas para tomar conta dos animais, levou a que mais de 9.000 donos não conseguissem encontrar um local ou alguém com quem deixar o seu animal de estimação no ano passado.

Com a procura por estes serviços a aumentar todos os anos, particularmente nas grandes cidades, a escassez de pet sitters, pet walkers e hotéis para animais é preocupante, principalmente num contexto que, em muitos casos, leva a que os animais sejam abandonados ou entregues em canis.

“O maior risco da falta de oferta deste setor é mesmo o abandono animal. Infelizmente, todo os anos há famílias que abandonam animais de estimação durante o verão”, alerta Alice Nunes, diretora de Novos Negócios da Fixando.

Até ao final deste ano, a Fixando estima que mais 18.000 donos precisem de recorrer a um especialista para cuidar do seu animal durante a sua ausência, dos quais 15.000 terão dificuldades em contratar alguém.

De forma a dar resposta a esta procura urgente por pet sitters e pet walkers, a Fixando quer angariar pelo menos 1.000 cuidadores de animais de estimação em todo o país.

Em agosto do ano passado, a plataforma lançou uma campanha online para colmatar as dificuldades dos donos em encontrar um local para deixar os seus animais de estimação durante o período de férias, com o mesmo objetivo de angariar pessoas disponíveis para prestar serviços na área do pet sitting.

Este fim de semana, entre os dias 27 e 29 de janeiro, a Fixando vai estar presente no Pet Festival, na FIL, em Lisboa, com o intuito de angariar cuidadores de animais e pet sitters.

Quem pode ser pet sitter?

Desde visitas diárias para cuidar dos animais durante uma ausência mais prolongada, a pedidos de donos de cães que passam o dia foram e querem uma ajuda extra para passear o seu animal de estimação, muitos são os pedidos que a Fixando tem recebido para cuidar de animais.

Alice Nunes explica que há, cada vez mais, famílias que preferem deixar os seus animais de estimação com cuidadores particulares, ao invés de hotéis para animais, para que tenham um tratamento mais familiar e personalizado.

Para ser cuidador de animais (pet sitter, pet walker ou hospedar animais) a Fixando avisa que é importante ter sentido de responsabilidade, disponibilidade para se deslocar a casa dos donos ou levar os animais à rua e gosto pelos animais.

Tratando-se, em muitos casos, de serviços que ocupam 1h00-2h00 por dia, é um extra fácil de conciliar com um trabalho a tempo inteiro ou com os estudos.

Fixando estima atingir 2 milhões de euros transacionados

Dependendo do tempo disponível para investir, da sua zona de residência e da época do ano, um cuidador de animais, mesmo com pouca experiência, pode ganhar cerca de 7€/hora a passear animais.

Segundo a análise da Fixando, um pet sitter que cobre 10€/hora e tome conta de 2 animais por semana (2 horas diárias, sem contar com fins de semana), consegue um rendimento extra de 420€/mês. Alguém que se dedique inteiramente a estes serviços, pode atingir os 1400€/mês.

“Para 2023, segundo as nossas previsões e considerando o aumento dos preços praticados nestes serviços, estimamos ultrapassar os 2 milhões de euros transacionados em serviços para animais”, revela Alice Nunes.

Foto: DR.

Continuar a ler

Mais lidas