Connect with us

Atualidade

Sensibilização dos consumidores para o desperdício alimentar aumenta para 72% em dois anos  

Publicado

on

Segundo um novo estudo do Research Institute da Capgemini, intitulado “Reflect. Rethink. Reconsider. Why food waste is everybody’s problem”, a consciência dos consumidores sobre a importância do desperdício alimentar mais do que duplicou desde o início da pandemia. O aumento dos preços dos alimentos, os problemas com as cadeias de abastecimento e as preocupações com a sustentabilidade são os principais responsáveis pela mudança de atitude dos consumidores. Atualmente, 72% dos consumidores estão conscientes do desperdício alimentar que provocam (apenas 33% antes de 2020). O novo estudo inquiriu 10.000 consumidores e gestores de 1.000 grandes empresas dos setores agroalimentar e da distribuição.

De acordo com o estudo da Capgemini, os consumidores já estão a estudar cada vez mais formas de reduzir o desperdício alimentar que provocam. No espaço de um ano registou-se um crescimento de 80% das pesquisas nas redes sociais sobre os métodos que permitem aumentar a vida útil dos alimentos. A poupança de custos (56%), a preocupação com a fome em todo o mundo (52%), e as alterações climáticas (51%), são os principais responsáveis por esta mudança.

Por outro lado, e ainda que os consumidores admitam a sua própria responsabilidade neste contexto com 60% a afirmarem que se sentem culpados pelo desperdício alimentar, a verdade é que também manifestaram o seu descontentamento pelo facto de os distribuidores e os produtores alimentares não estarem a fazer o que seria necessário para os ajudarem a diminuir o impacto desta situação. Quase dois terços (61%) dos consumidores inquiridos disseram que querem que as marcas e os retalhistas façam mais para os ajudar a combater o desperdício alimentar, e 57% revelaram estar desapontados por as empresas não se importarem o suficiente com este problema.

Apesar de as empresas tomarem medidas positivas para apoiar o combate ao desperdício alimentar nas lojas, nas casas dos consumidores, bem como através da disponibilização de conselhos para garantir que as sobras não são desperdiçadas, os consumidores consideram que estas ações são insuficientes. Por exemplo, enquanto 60% das empresas afirmou que ajuda os consumidores a compreender termos como “consumir preferencialmente antes de”, “consumir até” e “data de validade”, apenas 39% dos consumidores consideraram que estas informações são suficientemente claras. Os consumidores querem que as empresas façam mais em domínios como: a inovação dos produtos, a embalagem, a clareza dos rótulos com datas de validade, e a educação/sensibilização dos consumidores. Os consumidores revelaram que gostariam de ver rótulos digitais (códigos QR, etc.) que lhes forneçam mais informações sobre o ciclo de vida e a qualidade dos produtos.

Com efeito, os consumidores revelaram que sentem que são deixados por sua conta demasiadas vezes no que diz respeito à redução do desperdício alimentar. Já no que diz respeito ao aumento do prazo de validade dos alimentos em casa, dois terços (67%) afirmaram que recorrem a fontes de informação de terceiros (amigos, familiares, influenciadores e redes sociais) e apenas um terço (33%) referiu que obtém as informações necessárias nas embalagens dos produtos, em anúncios ou/e em campanhas geridas pelos produtores e pelos distribuidores alimentares.

Empresas do setor alimentar têm de educar e apoiar melhor os consumidores

À medida que a consciência dos consumidores em torno da importância do desperdício alimentar aumenta, os retalhistas e os produtores alimentares devem tomar medidas para ganhar a sua confiança, refere o estudo. Quase metade dos consumidores já afirmaram que recomendam a amigos e familiares para não interagirem com empresas/marcas que não se preocupam com o desperdício alimentar. Em sentido inverso, 91% afirmaram estar dispostos a comprar a marcas e distribuidores que divulguem informações sobre o seu desperdício alimentar, enquanto 58% referiram que aumentarão os seus gastos em empresas que tomem medidas ativas para gerir o desperdício alimentar.

“Os consumidores precisam de mensagens simples e diretas e de ferramentas fáceis de usar que os ajudem a reduzir o desperdício alimentar e os custos. Esta pode ser, também, uma oportunidade para as marcas fidelizarem clientes,” explica Tim Bridges, Global Sector Lead, Consumer Products, Retail and Distribution da Capgemini, referindo que: “com a ajuda da tecnologia, as empresas podem rastrear e avaliar o desperdício alimentar em todas as fases da cadeia de valor alimentar. Deste modo, poderão agir no momento certo, envolvendo os seus consumidores ao aconselharem-nos sobre formas de evitar comportamentos que fomentem o desperdício alimentar e transformando-os em participantes ativos neste esforço conjunto. Uma cadeia de abastecimento ágil e inteligente também pode permitir uma colaboração mais eficaz em toda a cadeia de valor, criando um ecossistema mais sustentável e preparado para enfrentar o futuro.”

Cadeia alimentar fragmentada

Embora a redução do desperdício alimentar na fase do retalho e do consumo seja relevante, a verdade é que é durante as fases de produção e distribuição (1,5 mil milhões de toneladas vs 931 m toneladas) que se perde a maior quantidade de alimentos. Mais de três em cada quatro (77%) empresas comprometeram-se com os Objetivos de Desenvolvimento da Sustentabilidade da ONU 12.3 (UN SDG 12.3), um programa focado em reduzir para metade o desperdício alimentar per capita no retalho e no consumo, bem como ao longo das todas as cadeias de produção e de abastecimento, incluindo os desperdícios verificados depois das colheitas, até 2030. No entanto, apenas 15% das organizações alcançaram estes objetivos ou estão no caminho certo para o fazerem.

De acordo com o estudo da Capgemini, tal deve-se a uma abordagem fragmentada do desperdício e da perda de alimentos em toda a cadeia alimentar. Embora os retalhistas e os produtores alimentares se concentrem na redução do desperdício alimentar na logística a montante (44% dos retalhistas e 50% dos produtores), bem como na transformação e embalagem (43% retalhistas, 46% produtores), são poucos os que prestam a mesma atenção à produção agrícola (22% retalhistas, 23% produtores) ou ao armazenamento a jusante (18% retalhistas, 21% produtores). Com os produtos a atravessarem frequentemente fronteiras internacionais, saber onde, quando e qual a quantidade que se perde e desperdiça é um verdadeiro desafio para produtores e retalhistas, sobretudo para as organizações mais pequenas. Apenas 19% das empresas mais pequenas rastreia, monitoriza e documenta o desperdício alimentar, em comparação com 64% das grandes empresas (com receitas superiores a 10 mil milhões de dólares).

Metodologia

O Research Institute da Capgemini inquiriu 10.000 consumidores com mais de 18 anos, bem como gestores de 1.000 grandes empresas da indústria e do retalho alimentar. O inquérito global foi realizado em 11 países das regiões da América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico em abril e maio de 2022.

Foram, além disso, realizadas 23 entrevistas de aprofundamento com especialistas de grandes organizações, universidades, start ups, ONGS e entidades reguladoras envolvidas nas áreas da produção de alimentos, do retalho alimentar, restaurantes e plataformas alimentares, cooperativas de produtos alimentares e organizações de embalagem e distribuição de alimentos.

Sobre a Capgemini

A Capgemini é líder mundial no desenvolvimento de parcerias com empresas para transformar e possibilitar a gestão dos seus negócios aproveitando o poder da tecnologia. A atuação do Grupo norteia-se diariamente pelo seu principal objetivo: potenciar a energia humana através da utilização da tecnologia rumo a um futuro mais inclusivo e sustentável. O Grupo é uma organização responsável e multicultural, com uma equipa que reúne mais de 325.000 colaboradores em mais de 50 países. Com um valioso património de mais de 55 anos de existência e uma vasta experiência nos mais variados setores de atividade, a Capgemini é reconhecida pelos seus clientes por responder às suas necessidades, desde a estratégia e design até à gestão das operações, tirando partido das inovações em áreas em constante evolução como a cloud, os dados, a inteligência artificial, a conectividade, o software, a engenharia digital e as plataformas. Em 2021, o Grupo reportou receitas no valor de 18 mil milhões de euros.Get the Future You Want |www.capgemini.com

Sobre o Cagemini Research Institute

O Capgemini Research Institute é o centro de estudos da Capgemnini focado nos estudos sobre o digital e é responsável pela publicação regular de estudos sobre o impacto das tecnologias digitais nos negócios tradicionais de grande porte. A sua equipa apoia-se na rede mundial de especialistas da Capgemini e trabalha intimamente com uma ampla rede de parceiros académicos e tecnológicos. O Capgemini Research Institute possui centros de investigação no Reino Unido, na Índia, em Singapura e nos EUA. Foi recentemente considerado o #1 centro de estudos/investigação no mundo pela qualidade da investigação desenvolvida pelos analistas independentes.

Foto: DR.

Atualidade

Voleibol: 13ª jornada da Liga Una Seguros

Publicado

on

Na 13ª, e última jornada da 1ª Fase da Liga Una Seguros, a realizar hoje, o destaque vai para a receção do Esmoriz GC, vice-líder e equipa-sensação desta fase inaugural do campeonato, ao Sporting CP, que será transmitida em direto na Sport TV, e os decisivos Ala Nun’Álvares de Gondomar vs. GC Santo Tirso/Mercainox e Vitória SC vs. AA Espinho, que definirão o 8º posto classificativo da 1ª Fase e, por consequência, o último passaporte para a Série A.

13ª Jornada

08.12.2022

16h00 – SC Caldas vs. Castêlo da Maia GC, no Pav. Rainha D.ª Leonor

16h00 – Ala de Nun’Álvares de Gondomar vs. GC Santo Tirso/Mercainox, no Pav. Ala de Nun’ Álvares de Gondomar

16h00 – SC Espinho vs. Leixões SC, na Nave Desportiva de Espinho

16h00 – Vitória SC vs. AA Espinho, no Pav. Desp. Unid. Vimaranense

16h00 – Esmoriz GC vs. Sporting CP, no Pav. Esmoriz GC – em direto na Sport TV

14h00 – SL Benfica vs. VC Viana/Casa Peixoto, no Pav. N.º 2 do Estádio da Luz

18h00 locais – AJ Fonte do Bastardo vs. AA S. Mamede, no Compl. Desp. Vitorino Nemésio

A Série A, que envolve os 8 primeiros classificados da 1ª Fase, e a Série A2, que envolve as equipas classificadas do 9º ao 14º lugar na 1ª Fase, arrancam, respetivamente, no dia 10 e no dia 17 de dezembro. Da 1ª para a 2ª Fase passam 20 por cento do número das vitórias e 20% dos pontos.

Imagem: FPV.

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos: Projeto “Encontro de Gerações” culmina com espetáculo no Centro Social da Silva

Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva

Publicado

on

Ao longo de 24 meses do “Programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva”, o Município de Barcelos está a promover um conjunto de projetos com diversas entidades, iniciativas que são cofinanciadas em 334 mil euros pelo Fundo Social Europeu, através do Programa Norte 2020. Um desses projetos é o “Encontro de Gerações” e é operacionalizado pelo TPC – Teatro Popular de Carapeços.

O projeto “Encontro de Gerações” culmina com segundo espetáculo que acontece já amanhã, dia 8 de dezembro, às 16h00, no Centro Social da Silva, depois do primeiro ter decorrido no salão do Centro Paroquial e Social de Fragoso, no dia 27 de novembro.

Este projeto consistiu no desenvolvimento e na dinamização de sessões teatrais pelo Teatro Popular de Carapeços, destinado a grupos intergeracionais, numa aposta no território norte do concelho de Barcelos, nas freguesias de Carapeços, Fragoso, Aldreu e Silva. As oficinas tiveram a duração mínima de 45 minutos cada e obedeceram a uma matriz previamente concebida e estruturada para levar as técnicas e os efeitos da atividade teatral aos mais jovens (a despontar para o grande teatro da vida) e aos mais idosos para que se sintam ainda válidos e úteis e a quem são pedidas e valorizadas as experiências de vida de cada um.

Estas oficinas incidiram sobre as técnicas teatrais como o movimento e expressão corporal; oralidade e melodia; passando pela leitura encenada e expressiva; pelo jogo dramático e improvisação, terminando na interpretação e com o Teatro como uma atividade artística e cultural facilitadora e desbloqueadora dos comportamentos e da sociabilidade.

Ao apoiar esta operação, os Fundos Europeus Estruturais de Investimento constituem-se como instrumento fundamental para a promoção da inclusão social, do emprego e da qualidade de vida.

Em termos globais, a operação global “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva” representa um investimento de 392 mil euros, dos quais 334 mil provêm do FSE – Fundo Social Europeu.

Esta ação de divulgação é financiada pelo POAT – Programa Operacional de Assistência Técnica.

Foto: DR.

Continuar a ler

Atualidade

Anadia: Prémio Escolar Rodrigues Lapa entregue no próximo dia 14 de dezembro

Publicado

on

A entrega do “Prémio Escolar Professor Rodrigues Lapa”, referente ao ano letivo 2021/2022, vai decorrer, no próximo dia 14 de dezembro, pelas 16h30, no Cineteatro Anadia. O galardão, promovido pelo Município de Anadia, tem como intuito distinguir os alunos das escolas de Anadia com melhor aproveitamento escolar.

Durante a cerimónia, para além da entrega dos galardões aos alunos, haverá, ainda, uma pequena representação com a leitura encenada da “Vida e Obra do Professor Rodrigues Lapa”, por Bru Junça. O evento termina com um momento musical.

O “Prémio Escolar Professor Doutor Rodrigues Lapa” foi criado, em 1996, pela Comissão das Comemorações do Centenário do Nascimento do Professor Doutor Manuel Rodrigues Lapa, com o duplo objetivo de homenagear o filólogo anadiense e de distinguir os alunos das escolas de Anadia com melhor aproveitamento escolar no final do 2º e do 3º ciclo do ensino básico, do ensino secundário e do ensino profissional.

Até ao ano de 2011/2012, o Prémio era atribuído ao melhor aluno de cada um dos níveis de ensino, havendo, assim, um premiado por nível de ensino e sendo os restantes candidatos ao prémio galardoados com menções honrosas. No entanto, o Município de Anadia entendeu dever compensar a excelência do trabalho e dedicação de mais alunos, assim como reconhecer que as variáveis subjacentes aos processos de ensino e aprendizagem e respetiva avaliação em diferentes contextos, são fatores de relatividade que tornam complexa a tarefa de comparar resultados entre as diferentes escolas participantes.

Nesse sentido, passou a distinguir três alunos por escola e por ciclo de ensino a saber: Escola Básica de Vilarinho do Bairro (6 alunos), Escola Básica e Secundária de Anadia (12), Salesianos de Mogofores (6), Colégio Nossa Senhora da Assunção – Famalicão (9) e Escola Profissional de Anadia (3), num total de 36 alunos. O melhor aluno de cada escalão de ensino receberá um prémio pecuniário no valor de 250,00€ e um diploma, e os restantes dois Menções Honrosas.

A iniciativa do Município de Anadia pretende constituir um incentivo à melhoria contínua do desempenho escolar e à construção do percurso formativo de alguns jovens.

Foto: CMA.

Continuar a ler

Mais lidas