Connect with us

Atualidade

Festival Andanças promove sustentabilidade ambiental

Em Reguengos de Monsaraz, na aldeia de Campinho

Publicado

on

O incentivo à utilização do transporte coletivo, a redução da pegada ecológica com a promoção do conceito “quilómetro zero” na cantina, a não utilização de plásticos ou o recurso à reciclagem de materiais na construção e decoração, são algumas das medidas de sustentabilidade ambiental adotadas pelo Festival Andanças, que decorrerá na aldeia de Campinho (Reguengos de Monsaraz) entre os próximos dias 18 e 21 de agosto.

São três os objetivos a alcançar: reduzir o impacto local e global, fazendo com que o festival toque na Terra de modo mais suave; criar mudanças locais e regionais para a sustentabilidade, através de melhores práticas que se enraízem e deem frutos; e difundir princípios e práticas que os diversos participantes levem consigo, como sementes que podem germinar e frutificar noutros locais, no seu dia a dia.

A pensar na mobilidade sustentável, a Associação PédeXumbo, organizadora do festival, aconselha os participantes a utilizar o transporte coletivo. Para isso, foi estabelecida uma parceria com a Rede Expressos, que oferece um desconto de 25% no preço do bilhete aos participantes do Festival que viagem até Reguengos de Monsaraz, sendo reforçadas as ligações entre esta cidade e a aldeia de Campinho, a casa do Andanças.

Segundo Joana Ricardo, responsável pela comunicação do evento, haverá também transfers entre Campinho e a praia fluvial de Monsaraz: “nesta edição teremos uma pausa para sesta na programação, no período de maior calor, e serão disponibilizados transfers até Monsaraz para que os participantes possam ir à praia sem ter necessidade de utilizar o automóvel particular”.

Ainda em matéria de mobilidade, outro parceiro do Andanças, a Cicloficina dos Anjos, organiza o Pedalanças, um percurso de 160 quilómetros entre Lisboa e Campinho, “dividido em etapas suaves, que nos permitirão desfrutar, sem pressas nem grande esforço, das paisagens que atravessaremos”. A partida de Lisboa ocorrerá dia 14 de agosto. “Para quem tenha mesmo de utilizar o carro, criámos um grupo de partilha de boleias no Facebook”, revela Joana Ricardo.

Nas refeições que serão servidas no festival, o princípio é o consumo local. “Apelamos sempre para que os produtos sejam comprados na região, pois, dessa forma, estamos a reduzir a pegada ecológica e a promover o conceito de ‘quilómetro zero’, que se aplica a tudo o que consumimos no festival”, explica Marta Guerreiro, coordenadora da Associação PédeXumbo, acrescentando que outra das apostas é a “minimização” do desperdício. “As nossas doses não estão uniformizadas, iremos servir a dose certa. As pessoas, quando estão com a sua bandeja, podem pedir uma dose maior ou menor, a ideia é que pensem sobre o que precisam de consumir e façam a sua opção”, sublinha.

Outra das práticas do Andanças é o “descartável zero”, pelo que toda a loiça usada na cantina não é descartável, o mesmo se exigindo aos “tascos” que estão dentro da área de concessão do festival. “Não é permitida a utilização de talheres, nem de pratos descartáveis, todos os materiais serão lavados e reutilizados”, refere Marta Guerreiro. O mesmo se passa com a caneca, “uma nossas marcas identitárias”, que poderá ser comprada ou alugada pelos participantes. A recolha e separação de lixos será uma prática em todo o festival.

Márcio Pereira, responsável pela decoração do Andanças, revela que a preocupação pela sustentabilidade ambiental também passa por aqui: “procuramos reutilizar os materiais ao máximo, dando uma segunda, terceira ou quarta vida aos objetos”. Por isso, foram recolhidos materiais utilizados em edições anteriores do Andanças e de outros eventos da PédeXumbo para serem reaproveitados. Será, por exemplo, o caso dos abajures que irão integrar a decoração dos palcos, e nos quais foram reutilizados cartazes de atividades realizadas pela associação, dos biombos espalhados pelo recinto, construídos a partir de paletes cedidas por uma cooperativa produtora de vinho, ou dos pufes, feitos com lonas de edições anteriores do festival e cheios com palha.

Ainda de acordo com Márcio Pereira, a temática desta edição do Andanças, “o barro e o têxtil”, remete para as artes tradicionais do concelho, designadamente a olaria de São Pedro do Corval e o fabrico de mantas alentejanas.

A sustentabilidade é, também, uma preocupação para a montagem do recinto. “As estruturas são construídas à base de materiais reciclados, alguns utilizados em edições anteriores, a que demos uma nova vida”, diz Manuel d’Apresentação, responsável por este setor.

Além disso, haverá casas de banho secas, a par das convencionais, e as torneiras têm temporizadores para evitar consumos excessivos. “Lutamos constantemente contra o desperdício”, resume Manuel d’Apresentação, lembrando, ainda, que no Andanças não há o merchandising comum a outros eventos. “Pelo contrário, fazemos uma atividade denominada Estampaki em que os participantes podem estampar o logotipo do festival na sua própria roupa e levar para casa uma recordação da sua passagem pelo Campinho”, conclui.

Casas de banho secas (Foto: PdX)

Fotos: PdX.

Atualidade

CAPGEMINI Portugal reforça o investimento, contratação e crescimento

Publicado

on

Presente em Portugal há 25 anos, a CAPGEMINI Portugal – especialista e líder de mercado em serviços de tecnologia, consultoria e engenharia, apresentou, ontem, ao mercado a sua nova estrutura organizacional, resultante da conclusão do processo de integração da ALTRAN e da consequente criação de duas marcas que atuam sob a insígnia da mesma entidade: a CAPGEMINI e a CAPGEMINI ENGINEERING.

Tendo alcançado um volume de receitas de 162 Milhões de Euros em 2021, e prevendo um forte crescimento de 16% das receitas e 18% do número de colaboradores para 2022 (+ 1.210 novos contratados), a CAPGEMINI Portugal possui uma equipa que integra mais de 3.600 especialistas de 49 nacionalidades distintas, 6 escritórios (Lisboa, Porto, Fundão e Évora), 4 Labs Mobility, 5G, Media e Quantum, 2 hubs (CRM, Salesforce e Dynamics) e Low Code (Outsystems), e detém mais de 2.400 certificações técnicas. Dispondo de um importante leque de parcerias estratégicas com 6 das empresas mais relevantes da cena tecnológica (MICROSOFT, SALESFORCE, SAP, OUSYSYTEMS, GOOGLE E AWS), a CAPGEMINI Portugal detém uma elevada classificação no Glassdoor de 4,1, um Engagement Score interno de 8,1, tendo alcançado, em março passado, o primeiro lugar do ranking Great Place to Work em Portugal, na categoria de empresas com mais de 1.000 colaboradores

A nova estrutura da empresa, além da área de Global Support Functions (Legal, Finance, Human Resources, Marketing & Communications, Procurement e IT) conta com a área de ABL – Application Business Lines (Application Management Services, Cloud & Customer Applications e Digital Customer Experience) e com a submarca, CAPGEMINI ENGINEERING, que agrega a oferta de Intelligent Industry e Engineering e R&D.

Cristina Rodrigues [Ndr: foto de destaque] é a Administradora-Delegada da nova estrutura e Board Member da CAPGEMINI Portugal, órgão que integra em conjunto com Eric de Quatrebarbes, responsável do Europe Cluster ao qual reporta Portugal, e Anne Lebel, Diretora de Recursos Humanos do Grupo CAPGEMINI. Esta responsável lidera, também, as Application Business Lines – ABL.

Por seu turno, Maria da Luz Penedos é a Managing Director da nova submarca, CAPGEMINI ENGINEERING, em Portugal.

“A CAPGEMINI é uma empresa de origem francesa líder mundial em serviços de consultoria, transformação digital, tecnologia e engenharia. Para impulsionar ainda mais o seu desenvolvimento, em 2020, o Grupo CAPGEMINI adquiriu o Grupo ALTRAN, reforçando, assim, o seu posicionamento a nível dos serviços de engenharia. Em 2021, a integração da ALTRAN no Grupo CAPGEMINI, com a já existente área de Digital Engineering & Manufacturing Services, deu origem à criação da CAPGEMINI ENGINEERING, como uma submarca que reúne os serviços globais de engenharia e investigação e desenvolvimento (I&D) provenientes da ALTRAN. Hoje, a integração está concluída e temos uma empresa única, com uma nova organização assente em 2 marcas: a CAPGEMINI e a CAPGEMINI ENGINEERING. Juntas, sustentam a organização líder em serviços de transformação digital e indústria inteligente para empresas dos mais variados setores de atividade,” explica Cristina Rodrigues, Administradora da CAPGEMINI Portugal e Board Member da empresa no nosso país, acrescentando que: “Desde o início do nosso percurso em Portugal, que começou há 25 anos, que uma das nossas principais ambições foi transformar o nosso país num hub de inovação tecnológica à escala internacional e é com enorme orgulho que temos vindo a ver a concretização deste propósito, agora materializado nos 4 Labs e 2 hubs que possuímos e a que se juntam os nossos 6 escritórios. Este é um propósito que iremos continuar a desenvolver, agora ainda mais focado em libertar o poder da tecnologia, para construirmos um futuro mais sustentável, inclusivo e justo – princípios chave do Grupo e das suas pessoas.”

Para apoiar o seu crescimento em Portugal, a empresa tem, este ano, em curso uma campanha de recrutamento até final de dezembro.

“Em Portugal, como de resto em todo o mundo, temos tido um percurso de crescimento e para podermos responder ao aumento das solicitações dos nossos clientes, que decorrem da acelerada transformação digital em curso, temos vindo a aumentar a nossa equipa com mais especialistas. Este ano a nossa ambição é chegarmos ao final do ano com mais de 4 mil colaboradores”, explica aquela responsável, concluindo que: “a CAPGEMINI é uma empresa muito focada nas pessoas e que sabe que são estas que têm a capacidade de libertar todo o poder que as tecnologias nos oferecem, por isso é importante para nós podermos contar com os melhores talentos.”

A par da ambiciosa estratégia de crescimento contínuo de dois dígitos para os próximos anos, a CAPGEMINI Portugal está, ainda, fortemente empenhada em construir um futuro mais sustentável, que passa não só por um vasto leque de iniciativas desenvolvidos em conjunto com os seus colaboradores, parceiros e fornecedores, como também pela criação de uma nova oferta que visa apoiar os seus clientes a alcançarem este objetivos e a tornarem-se empresas mais sustentáveis, e que é apoiada pelo Energy Command Center que o Grupo CAPGEMINI possui na Índia.

Ainda de referir que a CAPGEMINI Portugal, com 30% de mulheres na sua organização e 31% em posições de gestão, foi distinguida como Outstanding Knowledge Partner 2022 pela SALESFORCE e que a antiga entidade ALTRAN, foi distinguida nos Prémios Expresso Economia 2020 como a empresa que mais cresceu em volume de negócios, na categoria entre 50 e 100 milhões de euros.

Foto: DR.

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos: Município sensibiliza comunidade escolar para a prática do Voluntariado

Publicado

on

No sentido de sensibilizar a comunidade escolar para a temática do Voluntariado, o Município de Barcelos realizou, ontem, um encontro com representantes de diversas instituições educativas, no decorrer do qual deu a conhecer os objetivos e atividades em curso nesta área. 

Estas ações têm como objetivo desenvolver programas de educação para o voluntariado, promovendo a sua valorização e prática no território de Barcelos, envolvendo os parceiros na construção conjunta de uma cultura de voluntariado.

Durante o encontro, foi proposto que se realizem sessões nas instituições educativas, chamando à participação os parceiros, voluntários para dar o seu testemunho, encorajando as diferentes escolas a participar no programa, tendo como propósito a efetiva construção de um território que promova o voluntariado.

Assim, ficou delineada a seguinte estratégia:

– Levar às escolas, aos alunos, professores e à comunidade educativa o tema do voluntariado;

– Informar os jovens e a comunidade sobre esta temática e promover a participação ativa;

– Valorizar o voluntariado;

-Realizar ações que envolvam a presença e partilha da comunidade para uma atmosfera social recompensadora e estimulante que, continuamente cultive a solidariedade social.

Foto: CMB.

Continuar a ler

Atualidade

Tarouca: Mosteiro de Salzedas é a paragem que se segue de “Património a Norte”

Publicado

on

A segunda etapa da iniciativa “Património a Norte” está marcada para o próximo dia 01 de outubro, em Tarouca. Organizado pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), juntamente com várias autarquias e instituições eclesiásticas, o programa procura valorizar os espaços patrimoniais de seis concelhos: Bragança, Tarouca, Arouca, Miranda do Douro, Alfândega da Fé e Felgueiras.

Trata-se de um projeto diferenciador de afirmação cultural, do qual constam concertos, visitas e ações de gastronomia. O Mosteiro de Salzedas será o anfitrião da iniciativa em Tarouca – recebe, no dia 01 de outubro o Chef Renato Cunha, que dará a provar a melhor gastronomia da região, e o Pedro de Castro Trio, a quem caberá a animação musical. Baseado nestes três pilares, o evento tem como grande objetivo a aproximação da população residente e a captação de novos públicos turístico-culturais.

Mosteiro masculino da Ordem de Cister, o Mosteiro de Salzedas iniciou a sua construção em 1168. O anfitrião do “Património a Norte” em Tarouca foi classificado Monumento Nacional em 1997, abriu ao público em 2011, e é, hoje, um dos mais visitados mosteiros da Região do Douro e Varosa. Para além do núcleo museológico, que pode visitar diariamente, acolhe actualmente a exposição “Fragmentos. Expressões da Arte Religiosa do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas”.

A experiência gastronómica vai estar a cargo do Chef Renato Cunha. Cozinheiro por vocação, gosta de ser visto como embaixador da gastronomia portuguesa. Atento ao que se faz em Portugal e no mundo, procura uma formação de banda larga, assente tanto no empirismo popular, como no conhecimento da alta cozinha e da academia. A cozinha que preconiza tem como principais ingredientes os produtos com identidade portuguesa e de preferência com origem numa agricultura sustentável (biológica ou biodinâmica) – uma cozinha manifestamente de raízes populares, com grande rigor técnico e temperada com criatividade e inovação.

Caberá ao Pedro de Castro Trio a animação musical. Pedro de Castro nasceu em São Paulo, em 29 de agosto de 1977. Desde sempre teve uma proximidade muito grande com a comunidade fadista: os amigos dos seus pais eram fadistas, músicos, tocadores. Isso levou-o, desde muito novo, às casas de fado de Cascais. Com 5 anos, começou a aprender piano, num enquadramento clássico. A guitarra chegou mais tarde, com 14 anos, por influência do guitarrista José Luís Nobre Costa (que viria a ser o seu mestre).

Programa 01 de outubro | Tarouca

16h00 · Sessão de abertura

Lançamento das visitas

16h30 · Património em Prova

Partilha e Degustação com Chef Renato Cunha

18h00 · Concerto

Pedro de Castro Trio.

O projeto «Arte e Cultura em Circulação… pelo Património» | NORTE-04-2114-FEDER-000607 é promovido pela Direção Regional de Cultura do Norte, em parceria com os municípios locais, representando um investimento aproximado de 300 mil Euros, cofinanciado pelo Programa Norte 2020, através do FEDER.

Para saber mais, consulte o website https://culturanorte.gov.pt/, https://patrimonioanorte.pt/  e redes sociais.

Imagem: DRCN.

Continuar a ler

Mais lidas