Connect with us

Atualidade

Estudo de Competências Sociais e Emocionais da OCDE apresentado em Sintra

Publicado

on

A apresentação do Estudo Internacional de Competências Sociais e Emocionais da OCDE teve lugar na passada sexta-feira, na Escola Secundária de Santa Maria, em Sintra, numa iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Sintra.

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, alerta para as conclusões deste estudo, que diz “merecerem uma reflexão nacional por parte das escolas e sobre o modelo de ensino. Sintra, e não deverá ser muito diferente no resto do país, apenas 60% dos adolescentes de 15 anos esperam continuar a estudar e completar um grau superior”.

Para Basílio Horta “o problema é que a escola se tornou apenas uma fonte de conhecimento e ignora o talento. Os jovens querem tocar música, querem conhecer cinema, teatro, literatura. Isto em termos nacionais é uma perda completa, uma perda de talentos”, alerta o autarca.

A sessão de abertura contou com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Sintra, Bruno Parreira, Secretário de Estado Adjunto e Educação, João Costa, administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, Guilherme d’Oliveira Martins e o diretor do AE Monte da Lua, Nuno Cabanas.

A realização desta cerimónia significa, para Bruno Parreira, “o reafirmar do compromisso do Município de Sintra na procura de uma política educativa de excelência”. “Sintra é um dos concelhos do país com mais crianças e jovens, mais heterogéneo e multicultural, o que significa um enorme desafio e uma responsabilidade imensa da qual temos perfeita consciência e assumimos como nossa. E será esta a nossa responsabilidade, pegar neste documento e torná-lo num referencial de atuação futura”, concluiu.

Durante a apresentação, João Costa começou por agradecer a Sintra a “coragem e a ousadia” na realização deste estudo, “num campo para muitos ainda exploratório e difícil de entender”. Para o Secretário de Estado Adjunto e Educação “Sintra tem um potencial imenso, por ser como um tubo de ensaio que nos permite tirar conclusões para o resto do país. E isto é muito importante pela dimensão do concelho, mas também pelo que o concelho representa em termos de diversidade e multiculturalidade que estão aqui representadas”.

O estudo sobre “Competências Sociais e Emocionais (SSES)”, iniciado e coordenado internacionalmente pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), resultou de um protocolo estabelecido entre o Ministério da Educação, Câmara Municipal de Sintra e a Fundação Calouste Gulbenkian, em 2018.

A realização deste estudo pretendeu avaliar as competências sociais e emocionais das crianças e jovens e apoiar as cidades e os países envolvidos a desenvolver melhores práticas neste domínio, em que se inclui os resultados de Sintra, a única cidade portuguesa participante entre 2018 e 2019.

O território do Concelho de Sintra foi o escolhido para a realização do referido estudo, com aplicação dos questionários. Num universo dos alunos, das escolas da rede pública e privada, teve por objetivo uma amostra constituída por 3.000 alunos de 10 anos e 3.000 de 15 anos, envolvendo, igualmente, docentes, famílias e diretores de agrupamentos de escolas e escolas privadas. 

O inquérito da OCDE centrou-se em 15 competências sociais e emocionais que incluía desde a curiosidade e criatividade até ao controlo emocional.

Em relação aos resultados, este estudo, reconhece que as competências emocionais e sociais são determinantes no desenvolvimento pessoal dos alunos, no seu sucesso académico, com impacto na autoestima individual, mas também no desempenho profissional futuro e na construção de comunidades, onde os valores essenciais, associados ao conhecimento, tornarão o mundo local e global mais justo.

Reconhece, igualmente, que estas competências são essenciais num mundo em permanente mudança, para a construção de um futuro em que interagem de forma dinâmica conhecimentos, capacidades, atitudes, relação, participação na comunidade e bem comum.

O estudo apresenta, ainda, que os contextos familiares são determinantes na promoção das competências sociais e emocionais. Assim, o papel da escola, como estímulo à sua aprendizagem e desenvolvimento, deve atender àqueles que tendo menos oportunidades, resultantes da sua condição socioeconómica, possam encontrar os contextos de qualidade que lhes permitam progredir na mobilidade social.    

Foto: CMS.

Atualidade

Barcelos: Prémio Palco de Terra para o Teatro Escoitade e Manuel Ramos Costa

Atribuído pelo Teatro de Balugas

Publicado

on

O Teatro Escoitade, de Vigo, foi premiado, na categoria “Instituição”, pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos na dinamização e promoção do teatro amador na Galiza. Na categoria “Personalidade”, a distinção foi para o ator e encenador Manuel Ramos Costa, por uma vida dedicada ao teatro amador, em especial, na Contacto – Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar.

Os Prémios PALCO DE TERRA são uma iniciativa da companhia Teatro de Balugas, de Balugães – Barcelos, cuja primeira edição se realizou em 2017. São galardões concedidos anualmente para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas e instituições, no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Norte de Portugal e Galiza.

A cerimónia de entrega acontece no dia 11 de dezembro, às 16h30, no auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos), que encerra o Palco de Terra – Festival de Teatro Amador do Noroeste Peninsular.

O ator, encenador e dramaturgo Fernando Pinheiro foi o vencedor da primeira edição, em 2017, e entre os galardoados estão ainda os nomes do Cénico Lírio do Neiva (2018), Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto (2019), Dantas Lima (2019), Teatro do Noroeste-CDV (2020), Orlando Alves (2020), Programa CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende (2021) e Maria Laura Pinto (2022).

Imagens: TB.

Continuar a ler

Atualidade

Estremoz recebe concerto com a Banda Sinfónica da PSP

A 07 de dezembro, pelas 21h30, no Teatro Bernardim Ribeiro

Publicado

on

O Comando Distrital da PSP de Évora, através da sua Esquadra Policial de Estremoz e em Parceria com a Câmara Municipal daquela cidade, vai, no próximo dia 07 de dezembro, pelas 21h30, promover um Concerto com a Banda Sinfónica da PSP, no Teatro Bernardim Ribeiro.

Este evento vai ser realizado para comemorar o 5º Aniversário dos Bonecos de Estremoz na UNESCO, tratando-se, simultaneamente, de um concerto solidário de angariação de fundos para a CERCI Estremoz.

A Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública teve origem num agrupamento de elementos policiais com conhecimentos de música que pertenciam ao então Comando Distrital da PSP de Lisboa – atual Comando Metropolitano.

A partir de 1979, sob a Chefia do Major Silvério de Campos, aquele agrupamento evolui para um estágio de absoluto desenvolvimento artístico, o que permitiu concretizar a realização de um velho sonho de todo o pessoal da Polícia de Segurança Pública – integrar no seu efetivo uma Banda Sinfónica oficial.

O reconhecimento público do seu mérito é notório, tendo já atuado nos mais distintos auditórios nacionais, tais como: Teatro Nacional de S. Carlos, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Cultural de Belém, entre muitos outros, para além de ter participado em programas de Rádio e Televisão.

“Este comando espera que este evento se constitua como um excelente espetáculo, que para além da qualidade, tem uma componente solidária importante para a nossa comunidade, pois, além de não ficarmos indiferentes, todos devemos dizer NÃO à diferença”, salienta em nota.

“Ter consciência, educação, saber respeitar e saber lidar com as diferenças e incapacidades, não discriminando, cabe a todos enquanto cidadãos. A PSP e o Comando Distrital de Évora pretendem, assim, contribuir para a segurança e a integração destes cidadãos”, conclui.

Imagem: PSP.

Continuar a ler

Atualidade

Município de Anadia admitido como membro honorário do Comité Olímpico de Portugal

Publicado

on

A Câmara Municipal de Anadia foi admitida como membro honorário do Comité Olímpico de Portugal (COP). A proposta foi aprovada na última assembleia geral do COP que decorreu esta semana.

Para o vice-presidente da Câmara Municipal, Jorge Sampaio, esta admissão “é motivo de grande orgulho para o Município de Anadia”, sublinhando que esta decisão “é o reconhecimento de todo o trabalho que a autarquia tem vindo a realizar, ao longo dos últimos anos, em prol do desporto de alto rendimento nacional e mundial”.

Jorge Sampaio salienta que “mais de 60 países já passaram pelo concelho, nomeadamente pelo Centro de Alto Rendimento de Anadia, para realizarem os seus treinos de preparação para os Jogos Olímpicos e outras provas internacionais”.

O autarca deixa ainda um agradecimento público à Federação Portuguesa de Ciclismo pela iniciativa da proposta, e, ao Comité Olímpico de Portugal, por ter aprovado, por unanimidade, “a proposta de admissão de sermos membro honorário, o que muito nos honra”.

Foto: CMA.

Continuar a ler

Mais lidas