Connect with us

Atualidade

Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho recebe exposição e biblioteca de Manuel Botelho

Publicado

on

A galeria da Garagem Avenida, em Guimarães, está a acolher a exposição “Território Manuel Botelho”, que revisita a carreira deste insigne arquiteto e tem entrada livre. A sessão de encerramento é a 18 de maio, pelas 17h00, com uma visita guiada, a apresentação do livro “Território Manuel Botelho”, uma mesa redonda e o acordo de cedência de cerca de 1500 livros da biblioteca de Manuel Botelho para a Escola de Arquitetura, Arte e Design (EAAD) da Universidade do Minho (UMinho). Estão previstas intervenções dos professores Paulo Cruz, Duarte Belo, Bruno Baldaia e João Cabeleira, além de profissionais que privaram com o arquiteto/professor, como Filipa Guerreiro, Luís Tavares Pereira, Mariana Carvalho e Paolo Melis.

Cartaz (Imagem: DR)

A exposição foca o trabalho de três décadas do atelier de arquitetura Manuel Botelho, que cruza arquitetura, design de objetos, reflexão teórica, escrita e docência. A mostra tem a curadoria de António Neves, Bruno Baldaia, Carlos Maia e Duarte Belo, numa parceria entre o Laboratório da Paisagem, Património e Território (Lab2PT), a EAAD, a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP) e a Fundação Marques da Silva, e conta com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e da Ordem dos Arquitectos – Secção Regional do Norte.

A exibição interseta dois olhares. Por um lado, vemos a cenografia e as fotos de Duarte Belo pelo território de espaços construídos, de objetos e do quotidiano de Manuel Botelho. Por outro lado, vemos sete obras determinantes para caraterizar o percurso do Atelier Manuel Botelho, através de maquetes inéditas dos bolseiros da EAAD Bruno Castro, João Costa e Rui Ferreira, além de desenhos, esboços e fotografias, destacando-se um projeto não construído: o icónico Centro de Talassoterapia na Póvoa de Varzim (1993), que alude à era romana, à Vila Adriana e à relação água/luz, em coautoria com o arquiteto Manuel Mendes.

A exposição (Foto: Rui Oliveira)

As iniciativas em Guimarães inserem-se num ciclo de diferentes exposições sobre a vida e obra de Manuel Botelho, que iniciou em janeiro na FAUP e segue depois para Coimbra e Porto. O programa soma visitas, mesas redondas, debates e duas publicações: o road book fotográfico pelas suas obras, com textos dos curadores e do próprio Manuel Botelho, que é lançado no dia 18 (edição Museu da Paisagem); e uma monografia a lançar pela Circo de Ideias, na Fundação Marques da Silva (FIMS), no Porto.

Capa do livro (Imagem: DR)

A entrega da biblioteca de Manuel Botelho à EAAD deriva do trabalho de inventariação da sua obra pelos curadores da exposição e pelos bolseiros da UMinho. Já os registos dos 67 projetos do arquiteto, desde moradias a equipamentos públicos, vão ficar no acervo da FIMS.

Manuel Botelho nasceu em 1939, em Moimenta da Beira, distrito de Viseu. Em Itália, frequentou o curso de Filosofia e concluiu as licenciaturas em Teologia Sacra na Pontificia Università Gregoriana de Roma e em Arquitetura na Università degli Studi di Roma – La Sapienza. Depois, exerceu ativamente arquitetura com escritório próprio em Portugal, tendo uma obra vasta e singular. Venceu o Prémio Nacional de Arquitectura Keil do Amaral 1989 com a Casa Dr. Barroso Pires (Ponte da Barca), foi nomeado para o Prémio Mies van der Rohe 1994 e finalista do Prémio Secil de Arquitectura 2002. O seu trabalho integrou várias exposições, como a Europália 1991, na Bélgica. Lecionou na Escola Superior de Belas Artes do Porto (1980-85) e na FAUP (1985-2009), tendo colegas docentes como Álvaro Siza, Eduardo Souto Moura e foi assistente de Fernando Távora.

Manuel Botelho (Foto: DR)

Fotos e imagens: DR.

Atualidade

Renato Pita no Rali de Portugal com carro “Viana do Castelo, Cidade Europeia do Desporto 2023”

Publicado

on

Renato Pita, piloto vianense natural de São Salvador da Torre, estreia-se, esta semana, no Rali de Portugal com o Peugeot 208 Rally4 inserido no projeto “Viana do Castelo, Cidade Europeia do Desporto 2023”. De 19 a 22 de maio, o WRC Vodafone Rally de Portugal 2022 vai, assim, integrar o carro que marca “o regresso do filho a casa”, após o retomar da parceria entre o piloto e o município vianense.

Na apresentação da nova viatura, Renato Pita afirmou que este “é um dos dias mais importantes” da sua carreira por representar “o regresso a Viana do Castelo”. “Esta é a minha cidade. Foi aqui que eu nasci, cresci e estudei. Por motivos profissionais, não estou cá, mas estou perto. Poder representar as cores da minha cidade é, para mim, uma honra enorme, e poder representar o projeto Cidade Europeia do Desporto é uma responsabilidade ainda maior porque este é um projeto que engrandece a cidade”, afirmou o piloto.

Renato Pita participa, esta semana, no Rali de Portugal e vai levar, ainda, o novo carro a três ralis na vizinha Espanha – Rali de Ourense, Rali Villa de Llanes e, ainda, ao Rali da Catalunha.

O Vereador do Desporto na Câmara Municipal, Ricardo Rego, referiu que “o bom filho à casa torna” e que esta oficialização do retomar da parceria entre o piloto e o município acontece inserido na Cidade Europeia do Desporto 2023. “O Renato é um piloto que dispensa apresentações. Acima de tudo, o Renato, mais do que um projeto desportivo, tem também um projeto cívico nas escolas, o que é extremamente salutar”, indicou.

“Entendemos estabelecer com o Renato um projeto a médio-longo prazo. Estamos a dar o primeiro passo e poderá ser o primeiro de muitos passos. O Renato vai ser o símbolo da Cidade Europeia do Desporto, não só a nível nacional, mas também a nível internacional. Esperamos que o carro Cidade Europeia do Desporto esteja no pódio”, frisou o responsável.

“O projeto que temos com o Renato não se esgotará em 2023, será 2024 e 2025. Este projeto é muito mais amplo do que a mera corrida. No final deste ano teremos uma exposição do que será a participação do Renato Pita nos vários ralis, sensibilizando a população para esta modalidade. Teremos também uma aposta no projeto que o Renato tem de prevenção rodoviária, junto das escolas”, realçou ainda.

Já Vítor Dias, Diretor Regional do Norte do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), indicou que Renato Pita “é muito mais que um desportista, muito mais que um automobilista”. “O Renato é nosso embaixador da ética no desporto pela sua forma de ser enquanto desportista, mas sobretudo pela sua forma de ser enquanto cidadão”, afirmou.

“Tem uma grande preocupação com a formação, com a segurança, com a solidariedade, ultrapassando muito aquilo que é a mera competição desportiva dentro de um automóvel, pelo que felicito a Câmara Municipal por esta parceria”, realçou.

Foto: CMVC.

Continuar a ler

Atualidade

Viseu: Quatro detenções por condução sob influência do álcool

Publicado

on

No âmbito da prevenção rodoviária através do patrulhamento auto e apeado, o Comando Distrital da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Viseu, durante o fim de semana, deteve 04 cidadãos, três do sexo masculino e um do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 21 e os 47 anos de idade, por condução de veículo automóvel sob influência de álcool.

Depois de serem efetuados testes aos condutores, os mesmos acusaram taxas que variaram entre 1,32g/l e 1,81 g/l de álcool no sangue.

Os detidos foram notificados para comparecerem no Tribunal Judicial da cidade.

Foto: DR.

Continuar a ler

Atualidade

Lisboa: Detida por crime de exposição ou abandono de crianças e detenção de arma proibida

Publicado

on

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da 2ª Divisão Policial de Lisboa, no dia 13 de maio, na freguesia de Marvila, procedeu à detenção de uma mulher, de 67 anos de idade, por ser suspeita da prática dos crimes de exposição ou abandono e detenção de arma proibida.

A Equipa do Programa Escola Segura recebeu uma chamada, proveniente de um órgão de uma Direção Escolar, que dava conta da existência de uma aluna, menor de idade, que seria vítima de maus-tratos.

De imediato, os Polícias deslocaram-se para o local e, após realizarem as diligências necessárias, acionaram os meios de socorro a fim de realizar uma avaliação sumária ao estado de saúde da vítima, tendo sido decidido o seu transporte até uma unidade hospitalar.

Na sequência da aquisição da notícia de crime, encetaram rapidamente alguns procedimentos, no sentido de apreender prova, na residência onde havia indícios de ter ocorrido o ilícito, que serviria para consolidar a prova testemunhal inicialmente recolhida.

No local, constataram que ninguém abriu a porta, apesar de várias insistências e de ser perfeitamente audível o som de um aparelho televisivo.

Todavia, não esmoreceram no seu propósito, tendo vindo a intercetar a proprietária da residência, no exterior da habitação, que, após elucidada dos motivos para a presença dos Polícias, autorizou a entrada no seu domicílio.

Os Polícias encontraram uma criança, com um ano de idade, completamente abandonada à sua sorte, no interior de um berço. Foram acionados os meios de socorro, que depois de uma primeira análise, decidiram transportar a vítima para uma unidade hospitalar.

No decorrer das diligências, apurou-se que a cidadã tomava conta, permanentemente, de cinco crianças, todas menores de idade, enquanto os seus pais se dedicavam em exclusivo à atividade laboral, sendo remunerada por esse serviço, apesar de não declarar esses montantes recebidos, assemelhando-se a sua prática à de uma creche, em regime de 24h sobre 24h, sem as mínimas condições de segurança e de bem-estar para as crianças, que lá residiam, colocando em flagrante e grave comprometimento a integridade física e psíquica dos menores.

Assim, e por se encontrarem em perigo, três crianças foram retiradas à cidadã, ao abrigo do artigo 91º da Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo.

No interior do domicílio, foram apreendidos o objeto que foi utilizado na agressão de uma das vítimas; um bastão, vulgarmente transportados à cintura pelos membros das forças policiais, e ainda duas armas utilizadas em artes marciais.

Foi dada voz de detenção à suspeita, tendo sido Constituída Arguida e sujeito a Termo de Identidade e Residência.

“A PSP continuará a envidar abnegadamente esforços no combate a este tipo de práticas criminais, sendo elas definidas como prioritárias dado o impacto negativo que causam no bem-estar físico e psíquico das crianças, colocando em crise o seu superior interesse”, sublinha em nota.

Foto: DR.

Continuar a ler

Mais lidas