Connect with us

Atualidade

Coletivo artístico internacional URGE encerra Festival TRÊSPÊ’ em Braga

Através de técnicas de circo, artes plásticas, cenografia, música e design de som, festival sem cadeiras encerra com lanche comunitário

Publicado

on

O festival TRÊSPÊ’, em Braga, retorna amanhã, 16 de junho, às 19h00, com mais uma sessão do coletivo BANQUETE na Biblioteca Pública Municipal e encerra o seu último fim de semana com a entrada em palco do coletivo internacional URGE, com a performance FLUX, a 17 e 19 de junho, também às 19h00, nas Sete Fontes.

A performance multidisciplinar FLUX foi criada especificamente para o festival e para o trilho das Sete Fontes, por oito artistas de cinco nacionalidades diferentes que, desafiados a habitar e explorar as “Sete Fontes”, estiveram juntos durante 10 dias, num exercício de descoberta e revelação deste local.

Através de técnicas de circo, artes plásticas, cenografia, música e design de som, os participantes deste coletivo internacional, convidam o público a caminhar com eles, a redescobrir este espaço público e a partilhar um momento comum.

O Festival TRÊSPÊ’, coordenado pela ZET GALLERY e coorganizado pela Câmara Municipal de Braga, termina com um lanche comunitário, após a última performance do Coletivo Internacional URGE, no domingo, dia 19, pelas 19 horas.

Recorde-se que o Festival TRÊSPÊ’ é único no país, onde, ao longo de 3 fins de semana, entre os dias 2 e 19 de junho, 3 coletivos de artistas realizaram espetáculos de performance distribuídos por espaços icónicos como a biblioteca pública de Braga, as Sete Fontes e o Parque das Camélias, sempre sucedidos de conversas com o público.

Os 3 coletivos, BANQUETE, DEMO e URGE (com o coletivo BANQUETE, na Biblioteca Pública de Braga), contribuíram, assim, com espetáculos distribuídos por espaços como a Biblioteca Pública de Braga, as Sete Fontes e o Parque das Camélias.

O Festival TRÊSPÊ’ (Performance, Património e Paisagem) tem o objetivo de afirmar Braga como um território de incentivo à criação artística original, no campo de trabalho expandido da performance, ocupando o espaço que esta metadisciplina necessita no contexto nacional.

Em parceria com a Câmara Municipal de Braga (promotora do evento), a ZET GALLERY assegurou toda a criação e programação artística de 3 coletivos de artistas, ao longo dos 3 fins de semana.

Recorde-se que este é um festival sem cadeiras, onde o público pode levar a sua manta, o seu puf, e participar, relacionando-se com o património através do corpo.

A BANQUETE é uma associação cultural sem fins lucrativos que dedica a sua atividade à criação e investigação em artes. Desenvolve um trabalho individual e colaborativo de investigação na prática das artes performativas, onde o encontro de diferentes disciplinas artísticas e de formas de conhecimento é prioritário. A sua atividade concentra-se na investigação pelo pensamento, pela experimentação e pela materialização de três áreas artísticas: a dança, a performance e a música.

URGE é um coletivo artístico internacional e multidisciplinar criado por cinco artistas de nacionalidades diferentes, residentes em países distintos e provenientes de áreas artísticas díspares. Durante o mestrado “Performing Public Space”, da Fontys School of Fine and Performing Arts, em Tilburg, nos Países Baixos, decidem criar um coletivo e questionar juntos o espaço público. Avançam para o seu terceiro projeto artístico internacional, com três dos seus cinco elementos, criando uma performance “site-specific”, a partir da exploração partilhada do espaço das “Sete Fontes” com outros artistas de circo portugueses e estrangeiros. Participantes (por ordem alfabética): André Leite, Eleanor (Ellie) Bryce, Etienne Tribu, Joana Martins, Kátia Rocha, Leonardo Calvino, Rita Carmo Martins, Vitorrio Campanella.

Imagem: ZG.

Atualidade

Exposição “Preciso de voar com os pássaros”, de Sérgio d’Azeredo, inaugurada na Biblioteca de Albergaria

Publicado

on

Durante o mês de dezembro, a Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha tem patente a exposição de desenhos “Preciso de voar com os pássaros”, de Sérgio d’Azeredo. A inauguração tem lugar esta quarta-feira, dia 7, às 18h00.

Nesta mostra, o artista natural do Porto pretende “mostrar os momentos de uma busca incessante, guiado por gestos impregnadas de dramatismo, de olhares ansiosos, por vezes calmos, por vezes frenéticos, intuitivos, que vagueiam em suportes diversos, tentando agarrar o ‘feeling’ do momento, transformando-o em imagens gráficas, que traduzam espaços e tempos, realidades alternativas, improváveis, rumo a um realismo fantástico, onírico”.

Sérgio d’Azeredo quer que a consciência coletiva do recetor penetre na mensagem e encontre uma alternativa existencial da realidade, indo para além do óbvio, numa viagem de pensamento livre, sem preconceitos ou estereótipos.

Nascido na freguesia de Cedofeita, no Porto, Sérgio d’Azeredo é licenciado em Arquitetura, pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa, e Engenharia, pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto. É Presidente do Grupo Experimental dos Artistas Plásticos de Aveiro – AVEIROARTE. Encontra-se representado em coleções particulares, como a da AMI – Assistência Médica Internacional, Museu das Causas e Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, entre outras. Sérgio d´Azeredo já ilustrou diversos livros e é ainda autor de três obras de poesia, sob o pseudónimo de Azeredo Negrão.

A exposição de desenhos “Preciso de voar com os pássaros”, integrada na programação de Natal “Lugar das Cores”, pode ser apreciada até 31 de dezembro, durante o horário normal de funcionamento da Biblioteca Municipal. A entrada é livre.

Imagem: DR.

Continuar a ler

Atualidade

Madeira: Polícia Técnica Forense da PSP obtém melhor resultado nacional

Na vertente de inspeções judiciárias realizadas aos locais de crime de cenário tendo em consideração o número total de indivíduos identificados na sequência dos vestígios recolhidos

Publicado

on

Decorreu, no passado dia 29 de novembro de 2022, o 14º Fórum de Polícia Técnica e Ciência Forense organizado pelo Departamento de Investigação Criminal da Direcção Nacional da Polícia de Segurança Pública, realizado em formato online, com a participação de representantes, peritos e técnicos de Polícia Técnica Forense de todas as 20 Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense da PSP.

O referido fórum, realizado anualmente, está devidamente consolidado e tem como objetivos principais: apresentar e analisar os dados estatísticos do trabalho desenvolvido no ano anterior pelas 20 Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense, bem como promover uma partilha de boas práticas e conhecimentos técnico-científicos entre os especialistas, e ainda apresentar e delinear os objetivos para os anos seguintes.

Os técnicos/peritos das Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense da Polícia de Segurança Pública são Polícias com formação especifica na área da inspeção judiciária nos diversos cenários de crime, bem como na análise / perícia dos diversos vestígios recolhidos e que contribuem para que os autores dos diversos crimes sejam responsabilizados em sede de julgamento pelos atos praticados.

Da análise do trabalho desenvolvido pelos cinco técnicos/peritos lofoscópicos da Secção de Polícia Técnica Forense (S.P.T.F.) do Comando Regional da Madeira da Polícia de Segurança Pública, ao longo do ano 2021, verificou-se que obteve o melhor resultado nacional na vertente inspeções judiciárias realizadas aos locais de crime de cenário tendo em consideração o número total de indivíduos identificados na sequência dos vestígios recolhidos.

Desta forma, este é o 6º ano consecutivo que a SPTF do Comando Regional da Madeira obtém o melhor desempenho nacional, sendo de realçar que nos 14 anos de existência destes fóruns a SPTF do Comando Regional Madeira obteve o melhor desempenho em nove ocasiões.

“O empenho e abnegação demonstrada pelos Polícias da SPTF do Comando Regional da Madeira aquando da realização das respetivas inspeções judiciárias nos cenários de crime na Região Autónoma da Madeira contribuiu, decisivamente, para que em 2021, 109 (cento e nove) suspeitos fossem identificados através dos indícios/vestígios recolhidos nos diversos locais de crime examinados nesta Região”, refere o Comando madeirense.

O trabalho técnico-científico desenvolvido permitiu que, através da prova pericial obtida, as Autoridades Judiciárias pudessem aplicar, ainda na fase de inquérito, inúmeras medidas de coação, algumas das quais privativas da liberdade, e em sede de julgamento permitiu ao julgador alicerçar a sua decisão em prova com um valor probatório superior.

Imagem: PSP. 

Continuar a ler

Atualidade

Funchal: PSP detém dois homens por furto a estabelecimento

Publicado

on

O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Madeira, na passada sexta-feira, 02 de dezembro, procedeu à detenção de dois cidadãos, do sexo masculino, com as idades de 25 e de 37 anos, naturais e residentes no Funchal, pelo crime de furto a estabelecimento.

A ocorrência teve lugar na cidade do Funchal, num estabelecimento comercial de restauração e bebidas localizado na Rua Alferes Veiga Pestana, após denuncia de um cidadão para as autoridades policiais.

A rápida reação policial logrou identificar e deter os suspeitos acima mencionados, os quais são reincidentes neste tipo de prática, estando um deles referenciado no último mês pela prática de 5 crimes de furto e roubo.

A quantia monetária furtada (cerca de 40 euros) de fundo de caixa, foi apreendida e entregue ao seu legítimo proprietário.        

Os suspeitos foram presentes à autoridade judiciária competente no dia seguinte (sábado) tendo-lhes sido aplicada a medida de termo de identidade e residência.

“O Comando Regional da PSP Madeira aproveita a ocasião para relembrar a importância de dar conhecimento imediato às autoridades policiais sempre que existe notícia de um crime, possibilitando assim o rápido desenvolvimento de diligências que conduzam ao sucesso das investigações, identificação dos seus autores e recuperação do produto furtado”, sublinha.

Foto: DR.

Continuar a ler

Mais lidas