Connect with us

Atualidade

Católica do Porto apresenta “Expurgar Papel”: Reconstruindo Narrativas do Colonialismo por Carla Filipe

Inauguração dia 16 de fevereiro, às 19h30, na Sala de Exposições da Escola das Artes no Porto

Publicado

on

Conhecida pela sua envolvente série de trabalhos intitulada “Mastigar papel mastigado, o desejo de compreender o velho continente para cuspir a sua história”, iniciada em 2014 durante sua residência artística na Antuérpia, Carla Filipe apresenta, no dia 16 de fevereiro, na Sala de Exposições da Escola das Artes da Universidade Católica, a sua abordagem distinta com a exposição “Expurgar Papel”. Neste novo capítulo, a artista explora as complexidades do colonialismo europeu, utilizando documentação do séc. XVII ao séc. XX adquirida em alfarrabistas e em mercados de segunda mão. Um trabalho que desafia as convenções artísticas, focando-se exclusivamente na colagem como meio expressivo. No mesmo dia, a anteceder a inauguração da exposição, vai realizar-se uma Conferência de Lilia Schwarcz sobre “Imagens da branquitude: a presença da ausência.”

“A arte é uma jornada complexa e completa, uma privilegiada forma de provocar reflexão e transformar consciências, um passeio fascinante pela mente e pela história. Expurgar Papel é uma contribuição valiosa para o diálogo crítico sobre a história europeia. Através do minucioso trabalho de Carla Filipe, somos convidados a questionar, refletir e, acima de tudo, a compreender as nuances do passado que continuam a moldar o nosso presente”, indica Nuno Crespo, diretor da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa.

Carla Filipe trabalha somente em torno desta documentação, sem recorrer ao desenho ou pintura, usando apenas a colagem enquanto veículo e metodologia percorrendo as linhas ténues entre o respeito e o desrespeito do documento muitas vezes considerado uma “entidade imaculada”. Em resumo, esta exposição será um corte e cose de documentos do séc. XVI até à modernidade.

Na construção destas colagens a imaginação é uma constante, a imaginação que vem na ação de combinação de ideias, manipulação de conteúdos, usando o humor, o drama, a realidade. Todos os elementos usados para as colagens são frágeis, onde tudo é informação, desde os vários tipos de papéis usados, como jornais, notas ou papel de fantasia.

Nesta singular exposição temos, igualmente, representada a revolução industrial, onde o papel tem outra manufatura, que distingue a sua durabilidade enquanto documento, sendo o elemento mais contemporâneo assim como, a introdução do cabelo, que também é arquivo (ADN).

A inclusão do cabelo relaciona o trabalho com o corpo, que também é um “arquivo”, fazendo ligação ao próprio título “mastigar” e “cuspir”; o ato de mastigar é também um ato de mascar, criando saliva misturada com a matéria sem engolir. É triturar toda a documentação entre os dentes, e cuspir este arquivo sem organização, sem categorias e sem preservação.

Seguindo a mesma ideia de repulsa, temos, igualmente, o “escarro”, devido à inalação do pó desta documentação que acumula e necessitamos de expurgar (para não ficarmos contaminados: limpeza). Como se a artista quisesse adquirir todo a documentação possível e mastigar tudo para um novo início, através de uma ação de repulsa e de libertação transformando toda a matéria que é expulsa da sua boca numa espécie de cola que fica peganhenta na superfície. Tomando assim, consciência de que o arquivo é colonizador.

Esta é a primeira de quatro exposições do ciclo “Não foi Cabral: revendo silêncios e omissões”, um programa em co-curadoria entre Lilia Schwarcz e Nuno Crespo, que contempla uma agenda de concertos, conferências, exposições e performances, que vão decorrer entre 16 de fevereiro e 24 de maio. O ciclo é organizado pela Escola das Artes, em parceria com a Universidade de São Paulo (Brasil) e a Universidade de Princeton (EUA). A exposição de Carla Filipe estará patente ao público entre 16 de fevereiro e 15 de março.

A obra de Carla Filipe é composta a partir da apropriação de objetos e documentos, ou construída através da relação permeável entre objetos de arte, cultura popular e ativismo. Na sua pesquisa, a artista utiliza materiais e elementos, como bandeiras, cartazes, jornais e artefactos ferroviários.

O seu percurso artístico iniciou-se na cidade do Porto em 2001, fazendo parte do fluxo artist run spaces, foi cofundadora do “Salão Olímpico” e do ” Projecto Apêndice”; em 2009 ganha a bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para a residência artística na ACME Studios ( UK ). Desde então, tem tido um percurso nacional e internacional mais afirmado, desde a Bienal Manifesta 8 “Diálogo entre região de Múrcia e Norte de África“, curadoria Tranzit.org; Múrcia / Espanha (2010); Prémios EDP – Novos artistas, curadoria João Pinharanda, Nuno Crespo, Delfim Sardo, Lisboa / Portugal (2011); V Bienal de Jafre, Curadoria Carolina Grau e Mário Flecha, Jafre / Espanha (2011); “Deaf / Dumb Archive“, curadoria Zbyněk Baladrán, Tranzit.Display, República Checa / Praga (2011) ; “Mon, am i barbarian?”, curadoria Fulya Erdemci, 13ª Bienal de Istambul / Turquia (2013); “da cauda à cabeça”, curad. Pedro Lapa, Museu Berardo, Lisboa / Portugal (2014); “Air Traces“, curated by Alan Quireyns, Antuerpia / Bélgica (2014) ; “12 contemporâneos, Estados Presentes”, curadoria Suzanne Cotter e Bruno Marchand, Museu Serralves, Porto / Portugal (2014); Re-Discovery III, curadoria Ulrich Loock, Autocenter , Berlim / Alemanha (2015), “Natural Instincts“, curadoria Samuel Leuenberger , Les Urbaines, Lausanne / Suiça (2015); “Le Lynx ne connait mas de frontières“, curadoria Joana Neves, Fundação D ́Entreprise Ricard, Paris / França (2015); “Au sud d’aujourd’hui” curadoria Miguel Von Hafe Pérez; Fundação Calouste Gulbenkian, Paris / França ( 2015); Residência Artística (2015) Fundação Robert Rauschenberg, Captiva, Florida / E.U.A.; “Incerteza Viva”, curadoria Jochen Volz, 32ª Bienal de S. Paulo / Brasil (2016); Incerteza viva: uma exposição a partir da 32ª Bienal de S. Paulo, curadoria João Ribas e Jochen Volz, Museu de Serralves, Porto/ Portugal (2017); 4th Ural Industrial Biennial, curadoria João Ribas, Ural / Rússia (2017); “Extática Esfinge – Desenho e Animismo Parte II”, curadoria Nuno Faria, CIAJG, Guimarães / Portugal; “O ontem morreu hoje, o hoje morre amanhã”, curadoria Carla Filipe e Ulrich Loock, Galeria Municipal do Porto, Porto / Portugal ( 2018).

Imagem: DR.

Atualidade

Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos investe 2.7 milhões em dois Centros Tecnológicos Especializados

Investimento resulta de candidatura ao PRR – Plano de Recuperação e Resiliência

Publicado

on

A Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos (ETGB) vai criar dois Centros Tecnológicos nas suas instalações de Abade de Neiva, num investimento previsto de cerca de 2.7 milhões de euros. Este é o resultado de uma candidatura efetuada pela ETGB no âmbito da Componente de Qualificações e Competências e do Investimento – Modernização da oferta dos estabelecimentos de ensino e da formação profissional, do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O projeto destes dois Centros Tecnológicos Especializados, um dedicado à área da Informática e outro dedicado ao setor Industrial, visa reequipar e robustecer a infraestrutura tecnológica da escola, através da instalação e modernização de espaços e equipamentos, potenciando a capacidade técnica e pedagógica e os recursos educativos e formativos, melhorando a sua capacidade de resposta. Por outro lado, os novos Centros Tecnológicos vão reforçar a atratividade dos Cursos Profissionais da escola, contribuindo para o crescimento, competitividade e sustentabilidade do tecido económico e social da região, através da capacitação e qualificação dos jovens em áreas económicas estratégicas, entre as quais a transformação tecnológica acelerada pelos desafios da transição climática e digital.

Na candidatura apresentada, perspetiva-se que esta nova oferta vá aumentar o número de alunos diplomados, em especial em áreas emergentes propostas, bem como promover competências adequadas ao prosseguimento de estudos superiores.

No mesmo texto, é sublinhado que o investimento no desenvolvimento de qualificações/competências, em articulação com o tecido empresarial e as dinâmicas locais, potenciará a inovação, a renovação industrial e melhorará a articulação vertical entre os vários níveis de educação e formação profissional, contribuindo para a aprendizagem ao longo da vida, designadamente na capacitação de ativos, através de outras modalidades de formação.

Descrição das ações e investimentos do projeto

Além da sua capacidade pedagógica, formativa e administrativa, para a concretização destes projetos, a ETGB constituiu um conjunto amplo de parcerias que robustece a sua capacidade e potenciará o impacto do investimento proposto.

Partindo do diagnóstico da realidade envolvente, em particular das suas necessidades formativas, bem como do reconhecimento das suas próprias competências, a Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos vai realizar investimento em equipamentos modernos e inovadores, de modo a responder à necessidade de formação das empresas locais, não descurando as preocupações ambientais e de segurança que também fazem parte deste investimento.

Os investimentos incidirão, fundamentalmente, em equipamento Industrial e Informático de qualidade e inovador, permitindo assim uma aprendizagem de acordo com as atuais exigências do mercado, um aumento da capacidade das redes de internet, acesso, velocidade e cibersegurança, apostando em novas formas de produção e eficiência energética.

Os Centros Tecnológicos permitirão realizar um conjunto de ações educativas, interativas e de ligação à comunidade que promoverão um ensino técnico especializado nas áreas de formação, complementado com a interdisciplinaridade e promovendo a inclusão e a igualdade de género e oportunidades para todos.

A candidatura apresentada aposta na modernização de espaços e oficinas, cumprindo os requisitos e normas europeias e nacionais, em termos de eficiência energética e preocupação ambiental, assim como investe em equipamentos de baixo consumo, amigos do ambiente.

Ao promover a constituição destes Centros Tecnológicos contribui-se para a transição climática e digital.

Para esse efeito, que respeita à transição climática, os Centros Tecnológicos Especializados ficarão dotados das tecnologias mais recentes, menos poluidoras, favorecendo aprendizagens conscientes da importância da proteção do ambiente. Por outro lado, ao constituir os centros tecnológicos, num município que deles carece contribui-se para evitar deslocações pendulares dos alunos para outros municípios, evitando-se assim deslocações rodoviárias, poluidoras, favorecendo a mobilidade em transporte público e suave na cidade.

No que respeita à transição digital, a própria natureza dos cursos a lecionar nos Centros Tecnológicos promove a aprendizagem de competências digitais, promovendo a transição de modos de trabalho tradicionais para modos de trabalho assentes nas tecnologias e na economia digital, favorecendo assim a transição digital da economia e da sociedade

Foto: ETGB.

Continuar a ler

Atualidade

Barcelos: Concursos de Fotografia e Vídeo 2024

Património Ambiental do concelho

Publicado

on

Estão abertas as inscrições para dois concursos municipais: concurso de fotografia “Património Natural de Barcelos” e concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”, iniciativas do município barcelense que têm como objetivo consciencializar e sensibilizar a população para a defesa e valorização do património natural do Concelho e promover o Ambiente.

Os concursos destinam-se a todos os munícipes de Barcelos, com exceção de profissionais de fotografia e vídeo, funcionários do Município e júri, bem como os seus familiares diretos.

O tema subjacente a estes concursos é o Ambiente, no qual se encaixam diversos subtemas como o Património Natural e a Biodiversidade do território do Concelho: fauna e flora; paisagens; lugares; elementos relacionados com energias, preferencialmente renováveis.

Na fotografia, pretende-se uma imagem que documente, por exemplo, a diversidade, a beleza, o mistério do património natural e ambiental, assim como a fragilidade da vida no planeta com incidência no nosso concelho. Os trabalhos de fotografia deverão ser entregues até ao dia 29 de março de 2024, na Divisão de Ambiente e Recursos Naturais, na Casa do Rio, Rua Fernando Magalhães, 4750-290, Barcelos (até às 17h00). O envelope deverá conter a indicação do concurso, nome do participante e respetiva ficha de inscrição do concurso anexada. 

A exposição dos trabalhos de fotografia terá lugar no Theatro Gil Vicente, integrando as comemorações do mês do Ambiente, durante o mês de junho de 2024.

Concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”

Relativamente ao concurso de vídeo, a iniciativa pretende aliar o gosto pelo audiovisual à questão da promoção e valorização do património natural do concelho, de forma a difundir e promover a defesa do Ambiente. Trata-se de uma forma de retratar, por meio de uma curta-metragem original, o compromisso em melhorar, proteger e preservar o Ambiente.

Este concurso destina-se a todos os munícipes de Barcelos, com exceção de profissionais de vídeo e funcionários do Município e júri, bem como os seus familiares diretos.

Os vídeos deverão ser entregues em formato digital, através dos serviços de armazenamento/partilha de ficheiros online (we transfer, Dropbox, etc.), cuja ligação de partilha deve ser enviada para o endereço de e-mail gambiente@cm-barcelos.pt, até às 17h00 do dia 29 de março de 2024, ou presencialmente em envelope fechado, no Gabinete de Ambiente (Casa do Rio, Rua Fernando Magalhães, 4750-290, Barcelos).

Os concorrentes a estes concursos devem consultar os respetivos regulamentos antes da entrega dos trabalhos.  Mais informações: gambiente@cm-barcelos.pt

Prémios: Concurso de fotografia “Património Natural de Barcelos”

1º prémio: 400 euros

2º prémio: 300 euros

3º prémio: 200 euros

Será atribuído um prémio no valor de 100 euros intitulado “Prémio do Público”. Este prémio resultará da votação direta do público.

Prémios: Concurso de vídeo “Património Ambiental de Barcelos”

Consiste na atribuição de um valor de 400 euros ao melhor classificado.

Será atribuído um prémio no valor de 100 euros intitulado “Prémio do Público”. Este prémio resultará da votação direta via eletrónica do público.

A exibição dos vídeos será efetuada na página do Município (www.cm-barcelos.pt).

Imagens: CMB.

Continuar a ler

Atualidade

Sintra: Inscrições abertas para curso de Nadador-Salvador Profissional

Publicado

on

Estão abertas inscrições para o curso de Nadador-Salvador Profissional que acontece de 15 de abril a 17 de maio, nos Bombeiros Voluntários de Colares e na Praia Grande, em Sintra.

O curso é promovido pela Escola de Formação de Nadador Salvador Profissional de Sintra e é limitado a 30 vagas, com uma carga horária de 150 horas de formação, em regime pós-laboral e aos sábados.

Nesta ação está incluído o manual de formação, pocket mask, seguro e exame final (EEAT), sendo a sua realização dependente do número de inscrições registadas.

Os candidatos devem ser maiores de idade à data das provas de admissão, dominar a língua portuguesa e ter conhecimentos da língua inglesa.

Candidaturas e mais informações através de e-mail ou do telefone 91 100 77 12.

Imagem: CMS.

Continuar a ler

Mais lidas