Connect with us

Atualidade

Universidade do Minho assinala 650 anos da aliança luso-britânica

Conferência conta, de 6 a 9 de julho, em Braga, com Embaixador do Reino Unido, Chefe do Estado-Maior da Armada, Presidente do Portugal-UK 650, Reitor, autarcas e académicos

Publicado

on

A Universidade do Minho (UMinho) recebe, de 6 a 9 julho, a Conferência Interdisciplinar dos 650 Anos da Aliança Luso-Britânica, com 50 personalidades e académicos a discursarem sobre o passado, o presente e futuro desta que é a mais antiga aliança diplomática do mundo. O evento conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República e é promovido pela Escola de Direito da UMinho (EDUM) e pelo seu Centro de Investigação em Justiça e Governação (JusGov).

O programa tem, ainda, a parceria da iniciativa Portugal UK-650, que nos últimos meses realizou 70 atividades comemorativas e anuncia até 15 de julho diversos eventos em Braga e Vizela, a par de concertos em Lisboa, Sintra, Coimbra e Porto. A evocação dos tratados luso-britânicos de Tagilde (1372) e Londres (1373) prossegue até 2023, envolvendo mais de 100 instituições de ciência, educação, cultura, comércio, cooperação, sociais e políticas de ambos os países, estando em www.portugal-uk650.com .

Já a conferência, em si, inicia-se esta quarta-feira, às 16h00, no salão medieval da Reitoria da UMinho, no centro de Braga. Vão intervir, o reitor Rui Vieira de Castro, os presidentes dos municípios de Braga e Vizela, respetivamente, Ricardo Rio e Victor Hugo Salgado, a presidente da EDUM, Cristina Dias, a diretora do JusGov, Maria Miguel Carvalho, e a presidente do Portugal-UK 650, Maria João Rodrigues de Araújo. Prevê-se, ainda, uma palestra de Thomas Earle, professor emérito da Universidade de Oxford (Reino Unido), e uma atuação da Orquestra da UMinho. A música regressa ali na quinta-feira, às 19h00, com o conhecido Coro do Queen’s College de Oxford, também com entrada livre.

A conferência centra-se nos dias 7 a 9, no auditório nobre da EDUM, no campus de Gualtar, em Braga. O programa inclui oradores de dez universidades nacionais (Autónoma, Católica, Coimbra, Évora, Lisboa, Lusófona do Porto, Minho, Nova de Lisboa, Portucalense e Porto), além das universidades de Oxford, Warwick, Cardiff, Nottingham Trent (Reino Unido), Alabama (EUA) e San Pablo CEU (Espanha). Juntam-se, ainda, Jorge de Abreu, presidente da Câmara de Comércio Luso-Britânica; Mário Godinho Matos, antigo embaixador em Havana, Maputo e Moscovo; Eurico Gomes Dias, o mais jovem da Academia Portuguesa da História; ou Sean Cunningham, diretor de Registos Medievais nos Arquivos Nacionais britânicos.

Sessão de encerramento no sábado

A sessão de encerramento é no sábado, às 11h30, com os discursos do embaixador do Reino Unido, Cristopher Sainty, do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, almirante António Silva Ribeiro, e da representante da organização do evento e do JusGov, Alexandra Rodrigues de Araújo. O momento conta com a atuação da Banda do Exército e uma palestra do tenente-coronel Carlos Filipe Afonso. “Esperamos que as iniciativas do Portugal-UK 650, incluindo esta conferência e o ciclo de palestras que a sucedeu, possam contribuir a prazo para uma sociedade mais segura, fraterna, conhecedora do seu património histórico-cultural e promotora da solidariedade internacional”, refere Maria João Rodrigues de Araújo.

A 10 de julho de 1372 foi assinado um tratado em Tagilde (Vizela) pelo rei D. Fernando de Portugal e pelos delegados de João de Gante, duque de Lencastre e filho do rei Eduardo III de Inglaterra, que conduziu a que em 16 de junho de 1373 fosse assinado o Tratado de Paz, Amizade e Aliança, na Catedral de São Paulo, em Londres, por Eduardo III e D. Fernando, ladeado por D. Leonor, e que seria reforçado pelo Tratado de Windsor a 9 de maio de 1386. Esta aliança superou desafiantes contingências históricas, como duas Guerras Mundiais, a ascensão e queda de impérios, revoluções e descolonização, multilateralização das relações internacionais, integração europeia e o fim da Guerra Fria.

Foto: UMinho.

Atualidade

Exposição “Preciso de voar com os pássaros”, de Sérgio d’Azeredo, inaugurada na Biblioteca de Albergaria

Publicado

on

Durante o mês de dezembro, a Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha tem patente a exposição de desenhos “Preciso de voar com os pássaros”, de Sérgio d’Azeredo. A inauguração tem lugar esta quarta-feira, dia 7, às 18h00.

Nesta mostra, o artista natural do Porto pretende “mostrar os momentos de uma busca incessante, guiado por gestos impregnadas de dramatismo, de olhares ansiosos, por vezes calmos, por vezes frenéticos, intuitivos, que vagueiam em suportes diversos, tentando agarrar o ‘feeling’ do momento, transformando-o em imagens gráficas, que traduzam espaços e tempos, realidades alternativas, improváveis, rumo a um realismo fantástico, onírico”.

Sérgio d’Azeredo quer que a consciência coletiva do recetor penetre na mensagem e encontre uma alternativa existencial da realidade, indo para além do óbvio, numa viagem de pensamento livre, sem preconceitos ou estereótipos.

Nascido na freguesia de Cedofeita, no Porto, Sérgio d’Azeredo é licenciado em Arquitetura, pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa, e Engenharia, pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto. É Presidente do Grupo Experimental dos Artistas Plásticos de Aveiro – AVEIROARTE. Encontra-se representado em coleções particulares, como a da AMI – Assistência Médica Internacional, Museu das Causas e Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, entre outras. Sérgio d´Azeredo já ilustrou diversos livros e é ainda autor de três obras de poesia, sob o pseudónimo de Azeredo Negrão.

A exposição de desenhos “Preciso de voar com os pássaros”, integrada na programação de Natal “Lugar das Cores”, pode ser apreciada até 31 de dezembro, durante o horário normal de funcionamento da Biblioteca Municipal. A entrada é livre.

Imagem: DR.

Continuar a ler

Atualidade

Madeira: Polícia Técnica Forense da PSP obtém melhor resultado nacional

Na vertente de inspeções judiciárias realizadas aos locais de crime de cenário tendo em consideração o número total de indivíduos identificados na sequência dos vestígios recolhidos

Publicado

on

Decorreu, no passado dia 29 de novembro de 2022, o 14º Fórum de Polícia Técnica e Ciência Forense organizado pelo Departamento de Investigação Criminal da Direcção Nacional da Polícia de Segurança Pública, realizado em formato online, com a participação de representantes, peritos e técnicos de Polícia Técnica Forense de todas as 20 Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense da PSP.

O referido fórum, realizado anualmente, está devidamente consolidado e tem como objetivos principais: apresentar e analisar os dados estatísticos do trabalho desenvolvido no ano anterior pelas 20 Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense, bem como promover uma partilha de boas práticas e conhecimentos técnico-científicos entre os especialistas, e ainda apresentar e delinear os objetivos para os anos seguintes.

Os técnicos/peritos das Unidades/Secções de Polícia Técnica e Forense da Polícia de Segurança Pública são Polícias com formação especifica na área da inspeção judiciária nos diversos cenários de crime, bem como na análise / perícia dos diversos vestígios recolhidos e que contribuem para que os autores dos diversos crimes sejam responsabilizados em sede de julgamento pelos atos praticados.

Da análise do trabalho desenvolvido pelos cinco técnicos/peritos lofoscópicos da Secção de Polícia Técnica Forense (S.P.T.F.) do Comando Regional da Madeira da Polícia de Segurança Pública, ao longo do ano 2021, verificou-se que obteve o melhor resultado nacional na vertente inspeções judiciárias realizadas aos locais de crime de cenário tendo em consideração o número total de indivíduos identificados na sequência dos vestígios recolhidos.

Desta forma, este é o 6º ano consecutivo que a SPTF do Comando Regional da Madeira obtém o melhor desempenho nacional, sendo de realçar que nos 14 anos de existência destes fóruns a SPTF do Comando Regional Madeira obteve o melhor desempenho em nove ocasiões.

“O empenho e abnegação demonstrada pelos Polícias da SPTF do Comando Regional da Madeira aquando da realização das respetivas inspeções judiciárias nos cenários de crime na Região Autónoma da Madeira contribuiu, decisivamente, para que em 2021, 109 (cento e nove) suspeitos fossem identificados através dos indícios/vestígios recolhidos nos diversos locais de crime examinados nesta Região”, refere o Comando madeirense.

O trabalho técnico-científico desenvolvido permitiu que, através da prova pericial obtida, as Autoridades Judiciárias pudessem aplicar, ainda na fase de inquérito, inúmeras medidas de coação, algumas das quais privativas da liberdade, e em sede de julgamento permitiu ao julgador alicerçar a sua decisão em prova com um valor probatório superior.

Imagem: PSP. 

Continuar a ler

Atualidade

Funchal: PSP detém dois homens por furto a estabelecimento

Publicado

on

O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Madeira, na passada sexta-feira, 02 de dezembro, procedeu à detenção de dois cidadãos, do sexo masculino, com as idades de 25 e de 37 anos, naturais e residentes no Funchal, pelo crime de furto a estabelecimento.

A ocorrência teve lugar na cidade do Funchal, num estabelecimento comercial de restauração e bebidas localizado na Rua Alferes Veiga Pestana, após denuncia de um cidadão para as autoridades policiais.

A rápida reação policial logrou identificar e deter os suspeitos acima mencionados, os quais são reincidentes neste tipo de prática, estando um deles referenciado no último mês pela prática de 5 crimes de furto e roubo.

A quantia monetária furtada (cerca de 40 euros) de fundo de caixa, foi apreendida e entregue ao seu legítimo proprietário.        

Os suspeitos foram presentes à autoridade judiciária competente no dia seguinte (sábado) tendo-lhes sido aplicada a medida de termo de identidade e residência.

“O Comando Regional da PSP Madeira aproveita a ocasião para relembrar a importância de dar conhecimento imediato às autoridades policiais sempre que existe notícia de um crime, possibilitando assim o rápido desenvolvimento de diligências que conduzam ao sucesso das investigações, identificação dos seus autores e recuperação do produto furtado”, sublinha.

Foto: DR.

Continuar a ler

Mais lidas