Connect with us

Atualidade

Projeto transforma excedentes de cereais em novos produtos de alto valor para consumo humano e animal

Resultados do Co-CerealValue apresentados a 27 de abril, na Universidade Católica no Porto

Publicado

on

Todos os anos, toneladas de resíduos de cereais são desperdiçados ou tratados para que possam ser canalizados para a alimentação animal. Esta situação pode mudar depois dos resultados do projeto Co-CerealValue, que permitiu transformar estes resíduos em novos produtos para a alimentação humana com alto valor nutricional. O Co-CerealValue é um projeto 100% português que resulta de um consórcio entre os Silos de Leixões (entidade que lidera o projeto) e a empresa Germen, responsável pela moagem dos cereais, em parceria com a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica no Porto e o Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI). Os resultados do projeto serão apresentados a 27 de abril, a partir das 9h30, no Auditório Carvalho Guerra, na Universidade Católica no Porto.

O défice na produção de cereais é um fator crónico em Portugal. A volatilidade dos preços, a livre circulação de mercadorias e a especialização de produções a nível global criaram elevados riscos de interdependência. Em paralelo, o sector agroalimentar é fortemente afetado pela pressão exercida pelos custos de disposição de resíduos, regulações ambientais e preocupações sobre a degradação ambiental. As empresas têm que inovar nos seus processos de forma a aplicar o conceito de Economia Circular e, por isso, necessitam de rever as suas estratégias e definir políticas que estabeleçam relações benéficas entre as empresas integrantes de um ecossistema industrial. Assim, a sustentabilidade do sector pode ser alcançada através do aproveitamento e valorização dos desperdícios das atividades de outra empresa, criando assim uma relação sinérgica e mentora do desperdício zero.

Neste enquadramento o projeto Co-CerealValue permitiu desenvolver produtos inovadores para a alimentação humana (Food), ricos em fibras, proteínas e antioxidantes, e animal (Feed) a partir da valorização de subprodutos do processamento e armazenamento de cereais, mas também desenvolver um smart-object que monitoriza a cadeia de valor, permitindo o controlo da qualidade da matéria-prima durante todo o transporte (desde o porto de origem ao destino final), garantindo a sua segurança e integridade durante todo o processo.

“O sector dos cereais gera uma grande quantidade de subprodutos, que ainda mantêm na sua composição um manancial de nutrientes e compostos bioativos, que bem geridos podem voltar a ter valor acrescentado e contribuir com benefícios económicos e ambientais para os produtores/processadores e benefícios de saúde para o consumidor,” esclarece Manuela Pintado, investigadora e diretora do Centro de Biotecnologia e Química Fina (CBQF) da Universidade Católica Portuguesa no Porto.  “O reaproveitamento destes subprodutos foi uma mais-valia significativa pois permitiu enriquecer a alimentação humana com ingredientes nutritivos que podem trazer benefícios para a saúde, e que são provenientes de fontes naturais,” acrescenta Ana Maria Gomes, também investigadora do Centro de Biotecnologia e Química Fina (CBQF).

Ema Dias, responsável de Qualidade e I+D da GERMEN – Moagem de Cereais S.A, acrescenta que “a transformação de cereais em farinhas gera anualmente cerca de 20 mil toneladas de subprodutos de grande valor nutricional e que são encaminhados atualmente para a alimentação animal. Estamos a falar do gérmen e sêmea de trigo que contribuem com dois nutrientes fundamentais para a alimentação humana: a fibra e a proteína. O Co-CerealValue permitiu valorizar esses subprodutos, desenvolvendo produtos ou formulados funcionais com alegações únicas de mercado,” acrescentando, “reunimos, num só produto, a proteína e a fibra, sem adição de açúcares, que podem ser aplicados em cereais de pequeno-almoço, barras energéticas, granola, entre outros”.

Nuno Fernandes, diretor-geral da Silos de Leixões, explica que “o projeto Co-CerealValue foi desenvolvido para potenciar o hub existente, beneficiando já das sinergias e capacidade instalada, e permitiu que fosse desenvolvido um smart sensor em resposta à necessidade de controlar a temperatura dos agroalimentares em instalações que não disponham de controlo termométrico.” Utilizando as suas competências na área da Indústria 4.0, uma equipa de investigação do INEGI desenvolveu o smart-object capaz de fazer a medição contínua da temperatura de cereais e farinhas armazenados em grandes silos. As medições são transmitidas através de um protocolo sem fios para um servidor central, integrado com um sistema monitorização logística. “Com este sensor, é possível identificar e prevenir contaminações e outros problemas no interior do volume de cereal armazenado, em zonas até hoje inacessíveis, melhorando a rastreabilidade e reduzindo o desperdício alimentar” explica António Baptista, investigador coordenador do INEGI. Foi ainda desenvolvida uma abordagem inovadora, em colaboração com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e Universidade de Cambridge, denominada de SymbioSPOTS, para a avaliação de Simbioses Industriais complexas, incluindo as sinergias logísticas.  Esta abordagem alia o mapeamento de excedentes com a avaliação do seu potencial de valorização económica e redução sustentada de impactos ambientais.

No Seminário “Co-CerealValue: Economia Circular, Simbiose Industrial e a Cadeia de Abastecimento de Cereais”, que se realiza a 27 de abril, entre as 9h30 e as 13h00, os participantes vão ter a oportunidade de conhecer os principais resultados do projeto através das palestras, mas também de um momento de exposição onde os novos produtos serão apresentados. O evento é gratuito, mas requer inscrição em https://esb.ucp.pt/pt-pt/eventos/co-cerealvalue-economia-circular-simbiose-industrial-e-cadeia-de-abastecimento-de-cereais-40041 .

Imagem: DR.

Imagens: DR.

Atualidade

“Via Alternativa” traz Hip-Hop e Drum’n’Bass ao centro histórico de Viana do Castelo

Publicado

on

No próximo dia 22 de junho, sábado, Viana do Castelo vai receber o “Via Alternativa”, um encontro músico-cultural único que terá lugar na Praça da República e promete uma experiência inovadora, reunindo duas culturas vibrantes, o Hip-Hop e o Drum’n’Bass.

Das 14h30 às 03h00 da manhã, a Praça da República será palco de uma série de atividades emocionantes, incluindo workshops de produção, conferências e sessões de autógrafos, batalhas de rap, concertos de hip-hop e DJ Set de Drum&Bass.

Nos Workshops de Produção a proposta é para que o público aprenda as técnicas e segredos da produção musical com profissionais da área. Nas Conferências e Sessões de Autógrafos, a ideia passa por permitir ao público a interação com os artistas, conseguindo autógrafos exclusivos.

Nas Batalhas de Rap, o convite é para que participe ou assista a intensas batalhas de rap que destacarão talentos emergentes. Já nos Concertos de Hip-Hop e DJ Set de Drum&Bass, desfrute de atuações ao vivo que combinarão ritmos e estilos de maneira única.

As inscrições para participar nas batalhas de rap estão abertas até ao dia 16 de junho no site oficial da Câmara Municipal de Viana do Castelo. Inscrições aqui: https://www.cm-viana-castelo.pt/via-alternativa-batalhas/

O programa arranca pelas 14h30, com Conferência HipHop, Workshops de Produção HipHop e Sessão de Autógrafos no 1º Piso dos Antigos Paços do Concelho.
O programa inclui uma conferência esclarecedora sobre a cultura HipHop e o Drum&Bass, seguida de workshops envolventes sobre técnicas de produção.

Das 16h30 às 19h00 acontecem as Eliminatórias das Batalhas. A partir das 21h15, atuação de Di Ponti, artista vianense que promete contagiar o público ao som do seu mais recente trabalho.

Às 22h10, arranca a Semifinal, seguida de Final das Batalhas. Às 23h10, atuação de NTS, o rei do improviso RAP em Portugal, que atua pela primeira vez em Viana do Castelo.

Pelas 00h15, Levi Roses DJ Set (Drum&Bass), seguido de FatCap DJ Set (Drum&Bass), à 1h30, DJ e produtor natural de Viana do Castelo que irá fechar esta primeira edição do Via Alternativa.

Imagem: CMVC.

Continuar a ler

Atualidade

PSP recolhe cegonha ferida em Leiria

Publicado

on

O Comando Distrital de Leiria da PSP, através da Esquadra de Marrazes, recolheu, ao final da tarde de terça-feira, uma cegonha que se encontrava ferida.

A cegonha foi avistada a deambular num terreno agrícola, na localidade de Sismarias, Marrazes, por uma cidadã que, depois de se aproximar da ave, verificou que esta apresentava um ferimento na asa direita, o que, possivelmente, a impediria de voar, motivo pelo qual decidiu dar o alerta para o Centro de Comando e Controlo da Polícia de Segurança Pública de Leiria.

Depois da recolha, a cegonha foi transportada por uma equipa da Brigada de Proteção Ambiental (BriPA) da PSP de Leiria para o Centro de Interpretação das Serras de Aire e Candeeiros, em Porto de Mós, de onde seguirá para o Centro de Recuperação de Animais Selvagens de Montejunto para que possa ser reabilitada e posteriormente colocada novamente em liberdade.

Foto: PSP.

Continuar a ler

Atualidade

Surfista biamputado e campeão mundial de triatlo visita Lagos

Brasileiro Pauê perdeu as duas pernas aos 18 anos, numa linha de comboio. Fará uma palestra gratuita e workshop na praia de Porto de Mós no dia 17 de junho

Publicado

on

No dia 8 de junho de 2000, o brasileiro Pauê sofreu um grave acidente numa linha de comboio desativada em São Vicente, Brasil. Era um percurso que fazia quase diariamente. Tinha, na altura, 18 anos e perdeu as duas pernas. Hoje, com 41 anos, é um exemplo de superação e o único surfista biamputado do mundo, tendo sido campeão mundial de triatlo (natação, ciclismo e corrida). Licenciado em Fisioterapia, já realizou mais de 2000 palestras, nas quais relata o seu percurso, fazendo uma correlação com o dia a dia das pessoas, levando mensagens de otimismo, motivação, adaptação, determinação, coragem, gestão de dificuldades e superação.

Na próxima segunda-feira, 17 de junho, pelas 10h00, estará em Lagos, na praia de Porto de Mós, para uma palestra aberta ao público e workshop de surf. O objetivo é contar a sua história a alunos de várias escolas de surf do concelho, assim como à população em geral, e explicar como o surf salvou a sua vida e foi determinante no processo de recuperação e reintegração social. A ação, organizada pela autarquia lacobrigense, é aberta ao público de todas as idades e visa reforçar a ligação de Lagos à modalidade surf e à importância dos temas da inclusão social, desporto jovem e superação.

Foto: DR.

Continuar a ler

Mais lidas