Connect with us

Atualidade

Com alívio das restrições, Portugueses retomam casamentos e eventos adiados

Fixando estima que setor cresça 92% até junho face ao pré-pandemia

Publicado

on

O setor dos eventos ultrapassou, em fevereiro, a atividade pré-pandemia em 7% e vai alcançar, em junho, um crescimento de cerca de 92% face a 2019, avança a APP Fixando, com base numa análise ao mercado e aos pedidos de cerca de 23.000 utilizadores da plataforma, entre 2020 e 2022.

“O alívio das restrições anunciado vai permitir, finalmente, uma recuperação consolidada deste setor”, avança Alice Nunes, diretora de Novos Negócios da Fixando, plataforma que liga clientes a especialistas de todas as áreas. 

A Fixando adianta que o setor dos eventos, já em janeiro deste ano, registou um aumento na procura mensal na ordem dos 54% face a dezembro, o que evidencia a tendência para 2022: a concretização dos eventos que foram sendo adiados ao longo dos últimos dois anos, como casamentos, bem como a retoma em força das atividades e hábitos sociais pré-pandemia.

“Mesmo com alguns momentos de retoma, nomeadamente nos meses da primavera e verão, estes não foram suficientes para aliviar o forte impacto das medidas restritivas e da incerteza da evolução da pandemia, mas, com o aumento da procura previsto, já será possível falar de uma retoma robusta e consolidada”, reforça Alice Nunes.

Em fevereiro, as atividades que registaram os sinais mais positivos desta retoma, foram o aluguer de insufláveis (+105% face a janeiro), o aluguer de viaturas (+89%), as estruturas para eventos (+72%), os cabeleireiros e maquilhadores (+65%), o aluguer de roupa (+47%) e o catering (+39%).

Apesar do otimismo que estes indicadores podem trazer a estes profissionais, a mesma responsável alerta para a possibilidade de incapacidade de o setor responder ao crescimento rápido da procura, com áreas onde, inevitavelmente, os preços vão aumentar e alguns serviços estarão sobrelotados, como os locais para eventos ou as empresas de catering.

Imagem: Fixando

Foto: DR.

Continuar a ler
Clique para Comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Atualidade

Orquestra Municipal de Sintra interpreta Sinfonia Pastoral de Beethoven

Publicado

on

A Orquestra Municipal de Sintra – D. Fernando I irá subir ao palco do Centro Cultural Olga Cadaval para interpretar a Sinfonia Nº6 “Pastoral” de Beethoven, no dia 16 de setembro, pelas 21h00, com entrada gratuita.

Sob a direção artística de Cesário Costa, o programa para este concerto terá como fonte de inspiração a Natureza.

Na abertura será interpretada a ópera “La Vera Costanza”, do compositor Jerónimo Francisco de Lima, escrita em 1785 e que ilustra uma tempestade no mar, com a música a retratar o vento, as ondas e os trovões que se fazem sentir nessa mesma tempestade.

O programa comtempla a apresentação da obra “O Declinar de uma tempestade, op.15”, escrita por António Pereira Lima Júnior, em estreia absoluta numa versão para orquestra especialmente encomendada ao jovem e premiado compositor Marco Pereira.

Na linha das obras anteriores, a Sinfonia n.º 6 “Pastoral”, de Beethoven, uma das suas obras mais populares, escrita em 1808, descreve algumas cenas da vida campestre: a tranquilidade de um ribeiro, o canto dos pássaros, os camponeses, uma furiosa tempestade e a calma quando esta passa.

A Orquestra Municipal de Sintra – D. Fernando II é um projeto único a nível nacional que pretende permitir a fruição da grande música clássica em todo o território do Concelho de Sintra.

A entrada para o concerto é gratuita, mas limitada à lotação disponível, num máximo de 2 bilhetes por pessoa. A reserva é feita exclusivamente online mediante envio de um e-mail para bilheteira.ccoc@cm-sintra.pt (o bilhete eletrónico será enviado para o mesmo e-mail).

Continuar a ler

Atualidade

Voleibol: Seleção Nacional no Europeu 2023

Terceira presença consecutiva em campeonatos da Europa com um jogo ainda por disputar

Publicado

on

A Seleção Nacional de Seniores Masculinos, orientada por João José, garantiu o apuramento para a fase final do Campeonato da Europa de 2023, ao vencer, ontem, por 3-0 (27-25, 25-15 e 25-12), a sua congénere do Montenegro em jogo disputado no Pavilhão Desportivo Municipal de Santo Tirso.

Embora falte ainda disputar um último jogo na Pool D – Portugal desloca-se, no dia 21 de agosto, à Islândia –, a seleção de todos nós tem já assegurada (nem que seja como um dos melhores segundos classificados) a sua terceira presença consecutiva, e sétima no total, num Campeonato da Europa, concretizando, assim, o seu grande objetivo para 2022.

A fase final do EuroVolley 2023 ainda não tem organizador(es), nem datas marcadas, mas deverá ser disputado em agosto/setembro do próximo ano.

Portugal vs. Montenegro, 3-0 (27-25, 25-15 e 25-12)

Após o 2-3 averbado no dia 7 de agosto, em Montenegro, para garantir a qualificação direta para o Campeonato da Europa pela terceira vez consecutiva, a Seleção Nacional, orientada por João José, precisava de vencer o seu adversário de ontem por 3-0 ou 3-1, pois o 3-2 obrigava a fazer contas.

Set

Montenegro entrou bem no jogo (3-1), com os portugueses a sentirem bem a potência dos serviços de Aleksandar Minic, capitão dos montenegrinos. Portugal recompôs-se rapidamente e equilibrou a contenda (3-3, 6-6, 10-10).

Filip Cveticanin, com um ataque ao primeiro toque, conseguiu a primeira diferença de dois pontos (18-16) para Portugal… mas a equipa orientada por Ivan Joksimovic não acusou o golpe e com dois serviços de Marko Bojic voltou a passar para para a frente no marcador (19-18).

Um bloco de Ivan Zvicer, seguido de um ataque do mesmo jogador, aumentou a diferença (21-19).

Portugal respondeu com um ataque de Alexandre Ferreira e um bloco de Filip Cveticanin (22-22), obrigando Ivan Joksimovic a parar o jogo.

Um ataque de segunda linha de Lourenço Martins manteve Portugal no jogo (25-25). Alex Ferreira colocou a turma das quinas a um mero ponto do triunfo, que seria selado com novo ataque do capitão lusitano: 27-25.

Marko Bojic, com 8 pontos, e Ivan Zvicer, com 7, iniciavam um interessante duelo de pontuadores com Alexandre Ferreira e Lourenço Martins, ambos com 7 pontos neste parcial.

Set

Um monster bloco de Miguel Sinfrónio impulsionou Portugal (3-0) e uma bomba no serviço de Lourenço Martins aumentou a distância pontual (6-2).

Dois erros, no serviço e no ataque, mostraram que Montenegro estava um pouco desorientado com a velocidade e agressividade com que Portugal jogava e o treinador montenegrino viu-se obrigado a reunir com os seus pupilos.

A conversa não surtiu efeitos visíveis (10-3) e Ivan Joksimovic procurou remediar a situação fazendo algumas alterações.

Enquanto isso, os portugueses mantinham a sua caminhada a passos largos para novo triunfo.

Um serviço direto de Marko Bojic ainda fez soar algum alarme no banco de Portugal (13-6).

Alex Ferreira respondeu à altura dos acontecimentos, com um serviço direto (15-6). Um bloco de Tiago Violas empolgou, ainda mais, o (muito) público (17-7).

A Seleção Nacional exalava bom Voleibol e os adeptos agradeciam o espetáculo (19-8).

Montenegro reagiu e um serviço de Djordje Jovovic atenuou um pouco a diferença (20-12), mas o set era dominado pelos portugueses, que fixaram o resultado em 25-15, com um bloco de Filip Cveticanin e um ataque de Alex Ferreira.

Set

O terceiro parcial começou, como o primeiro, a ser jogado ponto a ponto, mas só até aos 4-4. Depois, os portugueses começaram a crescer. Um bloco de Filip Cveticanin e um ataque de Alex levaram o público ao delírio (9-5). Novo bloco, este de Miguel Sinfrónio, afastaram, ainda mais, Portugal (14-7).

O capitão Alex era o timoneiro da confiança portuguesa e dava o exemplo no ataque (17-8), no bloco (19-8) e no serviço (20-10).

Lourenço Martins e um serviço direto garantiram o triunfo que deu o apuramento europeu: 25-12, por números que não deixam dúvidas quanto à superioridade de Portugal.

Alexandre Ferreira, com 21 pontos, cotou-se como o melhor pontuador do jogo, seguido de Lourenço Martins (12) e Filip Cveticanin (10).

O Selecionador Nacional, João José, sublinhou que “o jogo acabou por ser muito intenso devido à importância que tinha. Da forma como estão a evoluir os outros grupos, se ganhássemos 3-2, até poderia ser complicado ser um dos cinco melhores segundos classificados. Mesmo no rácio de pontos eles estavam melhores do que nós”. Sobre a equipa, para João José, esta “esteve muito bem, ou seja, leram bem o que o adversário ia fazer e corrigir praticamente tudo o que não tínhamos conseguido fazer no jogo anterior“.

No entender do capitão Alexandre Ferreira, “não se constrói nada do dia para a noite. É um grupo que teve muitas mudanças e precisava de algum tempo para se adaptar. Para além disso, tivemos alguns jogadores com limitações físicas ao longo do percurso, o que também motivou algumas alterações na equipa, mas hoje [Ndr: ontem] voltámos àquela que era a nossa estrutura base desde início e correu bem, com cada um a fazer o seu trabalho”, sendo que assumiram “o favoritismo desde início, tivemos altos e baixos, como em Montenegro, mas hoje mostrámos que somos bem superiores”. Já sobre o apuramento, Alex salientou que “estamos pela terceira vez consecutiva no Europeu e sinto um enorme orgulho, pois sinto que o nosso País está a crescer na modalidade e isso é o mais importante: levar bem alto o nome do nosso País noutra modalidade sem ser só o Futebol. Vamos estar três vezes consecutivas e espero estar a quarta vez”.

Foto: FPV.

Continuar a ler

Atualidade

Tó Trips e Tiago Gomes animam Parque da Curia

Na localidade do Concelho de Anadia, este sábado

Publicado

on

O programa de animação da Curia “Concertos no Parque”, promovido pelo Município de Anadia, prossegue este sábado, 20 de agosto, pelas 22h00, com a atuação de Tó Trips e Tiago Gomes.

O espetáculo-viagem de Tó Trips e Tiago Gomes é baseado no livro homónimo de Jack Kerouac e foi apresentado pela primeira vez, em 2007, na exposição Remembering Jack Kerouac.

Trata-se de uma viagem, uma estrada perdida e infinita, onde os dois performers e o vídeo remetem o espetador para a route 66, na América de todos os sonhos, que aqui também são todas as estradas do mundo – vias rápidas, estradas secundárias, o deserto, cidades perdidas na noite e becos sem saída.

Tó Trips, dos Dead Combo, e Tiago Gomes, escritor e editor da revista Bíblia, juntaram-se em palco pela primeira vez, no final de 2007, para uma improvisação para guitarra e voz em torno do livro de Kerouac. Desde então, os dois artistas realizaram atuações dispersas por todo o país, onde foram experimentando ambientes musicais, tendo por base a escrita de Kerouac.

O programa “Concertos no Parque” tem como principal objetivo animar as noites de sábado na Curia, procurando desta forma atrair um maior número de turistas a esta estância termal, durante a época estival.

Imagem: DR.

Continuar a ler

Mais lidas